Para minha família!

Em 2012, quero falar menos e fazer mais. Quero dar menos indiretas, criticar menos as pessoas, começar a olhar com mais carinho quem está próximo a mim. Que adianta dar esmola, doar roupas para desconhecidos se na sua casa existe alguém precisando de outro tipo de caridade? Hein?

Quero dar amor, carinho, quero ajudar. Quero ter a consciência de que as pessoas envelhecem e precisam dos nossos préstimos. Eles precisam de atenção, de carinho, de ajuda. Quero ter a certeza de que fiz o bem enquanto os meus queridos estavam ao meu lado. Chorar no caixão, mandar rezar missa, de nada vale tudo isso se não agimos enquanto a vida nos dava chances de praticar o bem.

Ficar contando vantagem, agradar alguém para conseguir regalias?! Pra quê, meus caros?

Falei tudo em primeira pessoa, mas esse discurso, definitivamente, não deveria ser meu. Esses são os meus votos para você que está lendo. E, em especial, para aqueles que fazem parte da minha família! Aqueles que renegam os pais principalmente! Aqueles que puxam saco dos que têm uma condição financeira melhor ou algo para lhe oferecer no futuro. Pobres almas!!!

Aqueles que vivem postando indiretas na internet, que vivem fazendo belos discursos e esquecendo dos que mais precisam. Não gostou? A verdade dói mesmo. Mas não dói mais do que o desprezo. Já imaginou quantas lágrimas são derramadas com suas atitudes? Quanto desgosto um pai, uma mãe sente por não ter atenção e carinho de seus filhos e netos?

Estou cansada de falsos elogios, de falsas palavras e sorrisos. Se vocês acham que a solução dos seus problemas tem a ver com a morte dos mais velhos, o meu verdadeiro sentimento de dó. Como diz o ditado, um pai e uma mãe olham dezenas de filhos. Mas um só filho não é capaz de olhar os seus pais. Pobres familiares. Nem mesmo que vocês rezassem o dia inteiro, sua culpa seria eliminada.

Rezai sim, mas rezai com fé  e compaixão. Por que é disso que vocês precisam! Eu rezo por vocês, todos os dias. E peço perdão a Deus, pelo erro terrível que estão cometendo.

Acabo esse desabafo deixando uma reflexão: sempre é tempo de mudar. Mudem. Falem menos, façam mais. Deem valor a quem os acolheu durante a vida toda. Prezem por sua saúde e não pela condição financeira. Errem, mas tenham humildade para assumir e melhorar. E peçam perdão, porque tudo que aqui plantamos, aqui mesmo colhemos. Ainda há tempo de diminuir vossa penitência. Façam por merecer.

Você gosta de amora?

Quem nunca escutou um: “Você gosta de amora? Vou contar pro seu pai que você namora…”? Eu escutei e nunca entendi o porquê. Mas agora eu sei e vim contar a vocês.

A história da amora, da amoreira vermelha, da árvore dos apaixonados, começou com Píramo e Tisbe. Tratava-se de um casal apaixonado, impedido de amar. Seus pais não aprovavam esse amor, puro, genuíno… Qualquer semelhança com Romeu e Julieta é… verdadeira.

“Como podiam Tisbe e seu amante,

Se ver, mas não beijar

[ Thomas Moore]

Inconformados com a distância, resolveram certo dia fugir. Marcaram um encontro em um campo, próximo a uma árvore. Sim, uma amoreira branca. Passaram o dia esperando a noite cair. A felicidade estava por reinar. Estava…

Quando a noite surgiu, Tisbe colocou um véu e foi ao encontro de seu amado. Ansiosa, chegou cedo. E enquanto esperava, apareceu por lá uma leoa, sedenta. Sua boca estava cheia de sangue. Devia ter se deliciado com alguma presa naquele momento. Ah, do lado da árvore havia, ainda, um poço. E a leoa, estava ali em busca de água. Tisbe ficou com medo e antes que pudesse virar um banquete, se escondeu em uma caverna. No auge de sua fuga, deixou cair o véu. [ quase óbvio...]

A leoa, então, matou a sede e foi de encontro ao véu. Com uma só dentada, o estraçalhou. Viu que dali não teria nada. Largou o pano, cheio de sangue e seguiu seu rumo. Logo em seguida, chegava Píramo ao local e avistava o véu. [ TRAGÉDIA NA CERTA] Todo em pedaços, banhado em sangue… Chorou. Chorou pela suposta morte de sua amada. Não podia ser. Se em vida não podiam ficar juntos, a morte deveria os unir. Sacou a espada e a enfiou, com gosto, em seu peito. O sangue espirrou e pintou as amoras. Era a paixão, dando vida à amoreira.

Tisbe percebeu que já estava protegida e voltou ao local do encontro, pra contar ao amado sobre sua aventura. Quando chegou, encontrou Píramo morto. Achou que ele havia sido assassinado, mas logo avistou a espada. Chorou. Se lamentou e se uniu ao mesmo pensamento do jovem morto. Se apenas a morte podia uní-los, então… se matou. Era o amor, unindo dois corações apaixonados e dando um sentido para aquela árvore frutífera, antes branca, depois vermelha.

“As amoras, que o nome tem de amores”

[Camões]

Lindo, né? Eu amei. Agora a brincadeira da amora faz sentido. Agora, o amor faz sentido. Obrigada, Píramo e Tisbe. Muito obrigada…

 

Alô, vamos negociar?

Dia de final do campeonato brasileiro. Bar lotado. Ambiente meio escuro. Muitos chopps, muitos copos, muitos garçons limpando as mesas. Segurei meu celular. Pretinho, básico, vai que o garçon tira junto com a sujeira?! Eu fiz isso, minha amiga não.

Pagamos a conta e resolvemos fazer um ‘pit stop’ na sorveteria. Quando ela se dá conta, cadê o celular? Ligou para ‘si mesma’ e uma mulher atendeu. “Olha, eu estou com seu celular. Gostei dele. E não vou devolver. Você quer negociar? R$300?” OIE?

Bom, tendo em vista que o celular dela é um smartphone, caro, e que ela guarda a vida inteira dentro daquele aparelho – inclusive contatos profissionais -, como proceder? Ligamos para uns amigos que ainda estavam no bar e voltamos pra lá. Eles disseram não ter visto o celular. No meio do caminho, bloqueamos o aparelho e a linha. Nada como ter amiga gerente da Claro!

Chegamos tumultuando, querendo falar com o gerente. Uma amiga resolveu perguntar pros meninos de novo. Na roda, eles e umas garotas que estavam sentadas na mesa ao lado da nossa, durante o jogo. Falo garotas, mas a vontade é de soltar um “vadias” logo de cara! Pois bem, “aí, não consigo fazer maldade”, soltou uma delas. Favor ler essa frase com a maior voz de bisca! MALDADE?

Quanto tempo leva pra um menino amadurecer? Hein? O celular estava com os nossos ‘amigos’ – quem precisa de inimigos? E a “garota” – vadia – que havia passado o trote na gente. Como pode?

Homens, ligariam no celular de qualquer outra amiga e falariam: vocês esqueceram o aparelho aqui, onde estão? Vou levar aí… MOLEQUES, pedem para vadias passarem trote nas amigas. Deixam elas desesperadas, pensando em como amenizar a situação! Taí a diferença!

E sim, Rafael, agora o post foi pra você! Mandou benzão! Orgulho!!!

 

 

A beleza real

Chegou o fim de semana. Era hora de curtir uma festa atrás da outra. Tira o guarda-roupa pra fora, escolhe o acessório, o sapato e ‘bora’ maquiar. Os mesmos produtos. Quer dizer, com uma base nova, super potente! Make divino. E o melhor, a base não saía com o suor. Esse lance de escorrer maquiagem é trash.

Passou sábado. Passou domingo. Segunda-feira, algo estava estranho. Parecia ter voltado à puberdade. Na bochecha, aquelas, bem fofinhas e elásticas, algumas feridinhas. O que será? Achei que era alimentar. Dois dias comendo salmão… vai que… Nada.

Foi piorando. Decidi procurar um médico; a alergia estava piorando. A doutora foi clara: “cosmético”. Contei minhas novas aquisições e ela achou que poderia ser o protetor facial. Eu acreditei. Naquele dia, tinha um show. Perguntei se podia passar maquiagem. Como eu iria toda “berebenta” na festa?! Maior ‘cagada’.

O show foi ótimo. Ninguém notou minha pequena grande alergia. Rendeu. No outro dia… Ah, o outro dia. O rosto inteiro vermelho, com feridinhas. Base maldita, base maldita la lala lala! Achei que o tratamento dado pela médica iria me salvar. Que  nada. Acordei sábado parecendo o Kiko, do Chaves. Inchada, rosto febril e vermelho. E agora, meu Deus?

Perdi um curso, em SP. Deixei de sair com meus amigos. Hibernei. Chegou a segunda-feira. Fiquei de plantão no consultório do MEU médico. Tratamento modificado. Laudo? Cosmético. A base, com certeza. Comecei a me drogar novamente. O rosto foi melhorando. O duro era a pomada. Meninas, sintam o drama. Sabe quando a gente vai descolorir os pelos? Passa a água oxigenada com pó descolorante e…. COMO ARDE! Pois bem, era essa a sensação. Só que no rosto! Triste.

Hoje, faz 10 dias que estou com o rosto ‘deformado’. Consegui um laudo de uma médica credenciada da Natura. Resultado: 3 médicos, um mesmo diagnóstico, de molho em casa. E a melhor parte, vão ainda mais uns 10 dias! Oh, shit!

Mas por que eu contei tudo isso? Primeiro, porque muitos estão sem entender os recados no meu Facebook: “melhorou?” Estou melhorando. Segundo, porque é na hora da ‘tristeza’ que você descobre quem, realmente, se importa com você!

Agradeço a todos que me mandaram mensagens carinhosas, torcendo pela minha recuperação. E agradeço também àqueles que até pensaram em mandar algo, mas não acharam conveniente, por diferentes motivos. Aos indiferentes, obrigada também. Foi muito valido descobrir que a importância que eu dou a algumas pessoas não é NADA recíproca.

E assim caminha a humanidade. “Você está com alergia? Fez peeling?” Calma, galera. Sim, meu rosto está vermelho e marcado, mas logo volta ao normal e aí, a galerinha da inveja pode voltar à ativa. Já sabe, né, o que não mata, fortalece! #partiu