Eu resolvi refletir

Todo dia é a mesma coisa: levanta, escova os dentes, toma os remédios. Um tem a ver com estômago, nervoso, emoções e afins. O outro, com o que eu vim fazer aqui. São 22 cápsulas. Quando chega na 7ª (da contagem regressiva), o bicho pega. Tudo é motivo de lágrimas. Sim, estou na famosa TPM. E estando nesta fase, resolvi escrever. Falar tudo o que passa nessa minha cabecinha louca, totalmente ligada ao insensato coração.

Eu havia escrito maior “linguiça” aqui e apaguei. O negócio é o seguinte. Neste período, a gente sofre, fica lembrando do passado, manda mensagem bêbada pra quem não deve… É um show de ações impensadas. Ok, pensadas, mas sem qualquer juízo.

Sabe aquela mensagem que você queria ter mandado há séculos? Mas não o fez porque aquilo mexia com você? Aí, o tempo passa, você se fortalece, desfaz vínculos e resolve surtar e mandar. Não tem volta. Como diz aquele ditado, há três coisas que não voltam atrás: a flecha lançada, a palavra pronunciada e a oportunidade perdida. E eu resolvi não perder oportunidades. Pra quê?

Agora eu vou falar tudo. Se vai me prejudicar? Com certeza, mas né… ficar guardando sentimentos, juízos? Não.. chega! As pessoas têm que saber que a gente lembra delas durante determinado show, que a gente pensa nelas quando vai dormir ou está altamente embriagada, que a gente perde o rumo quando conversa olho no olho com elas, que a gente tem vontades… Esconder por quê?

Eu já me privei de muitas aventuras nestes meus 20 e poucos anos. Umas tem a ver com meus valores e isso não muda. “Nunca ouvi falar nada de você.. uma história… ” Não tem mesmo. Eu fui criada assim. Tive uma educação meio fora de época. Não consigo mudar. É meu jeito e pronto. Mas isso não quer dizer que eu não vivo, não me divirto. Oxi, fiz e faço isso sempre. Deu vontade, fez. Agora, fazer pra agradar, aprendi que não vale a pena. Não mesmo!

O ponto é… chega de deixar de se envolver com alguém porque no passado alguma amiga(o) teve algo com a pessoa. E você? Não tem vontades? Sentimentos? Hello! Acho pessoas egoístas o ‘ó’, mas fraternidade em excesso saiu de moda. Quem garante que a pessoa pensaria em você? Eu não garanto e digo mais, já senti na pele a falta de consideração. Momentos…

A vida é tão curta pra gente se anular, sabe? Pra gente deixar pra amanhã o que pode fazer/dizer hoje. Quer saber? Eu já te falei, mas vou repetir: teu olhar é intenso, é penetrante, é de tremer as pernas. Como é difícil conversar contigo olhando nos olhos. Como é difícil me concentrar, raciocinar (risos). Como é difícil ouvir um discurso, captar a linguagem corporal e ver você aos beijos com outra. Como é desconsertante. Mas né…

Outro. Como eu esperava mais. Mais contato, mais procura. É medo? Tenho a leve impressão de que os caras têm medo de mim. Sério. De se envolver. Eu sou difícil de lidar, mas nem tanto. Eu sou brava, mas só quando eu me sinto injustiçada. Ou quando minhas expectativas não são alcançadas… (risos) Não tenha medo. Sério. Não significa nada pra mim você dizer que esperou tanto pra ficar comigo, que adorou, que se soubesse que era bom, teria investido antes… E daí? E agora? Vai ser encontro do acaso? Sério? Ok!

Os homens têm muito o que aprender…

E quer saber? É nessas horas que eu penso: falta mais paixão, mais romantismo. Falta aquela vontade louca de gerar sorrisos, de cultivar borboletas no estômago, de dividir momentos, pagar contas quilométricas de telefone, abraçar e beijar como se fosse o último dia… Faltam cartas de amor, serenatas, gestos simples, mãos dadas… Faltam juras genuínas, promessas, sonhos… Faltam atitudes. Que os homens, evoluam. Amém!