Esse tal de Facebook

Sabe qual é a frase que eu mais escuto aqui em casa? Enganou-se quem pensou: como você é linda, filha; como você é inteligente, filha; você é f#da; me dá um abraço? A frase mais ouvida é: tudo ela põe na internet. Hummm conta mais.

Eu tiro qualquer foto aqui em casa e ouço o comentário, na hora: Ah lá…já vai por na internet! Opa. Posso dividir com meus coleguinhas virtuais minhas alegrias, diversões e conquistas? Segundo minha mãe, não!

“Eu vejo foto de vocês lá no Facebook. Não sei de quem ela é filha, não consegui identificar…” Adivinha? No supermercado, em Andradas, uma estranha falando de mim. Sim, sou eu quem publico fotos. Minha mãe não ficou brava. Eu me adiantei: ela falou mal de mim? Também… se falasse, não ia mudar minha vida, não conheço mesmo!

Eu coloco sim, muita coisa na internet. Bebo e faço enquetes, coloco meus looks, tiro foto no espelho, coloco fotos da infância, filosofias de bar, boteco e afins, defendo causas, peço ajuda. EU AMO A INTERNET e todas as suas façanhas.

Já pensei em deletar meu Facebook várias vezes, mas não consigo. Com quem vou dividir minhas coisas/pensamentos? Onde vou desabafar? E o pior, eu trabalho com isso!

Publicar uma foto é algo como “olha como eu estou feliz”. Ou, pros inimigos “chora, bem, olha como eu tô linda de doer”. Nunca uso esse argumento, seria uma falsidade só. Aqui em casa tem espelho. Aliás, um bem grande agora.

Eu gosto. Me faz mal, às vezes, mas também faz bem. E eu prefiro ser otimista. Esse ano promete.

E eu cansei de escrever. Não sei mais o que falar. Não posso contar nada mesmo. Só os dias… pro carnaval. 5. Que venha Muzambinho. Aí, falei. =(

 

Dizem que eu sou exigente…

Quando o assunto “namorado da Mariane” entra na roda, eu sempre escuto um “você é muito exigente”. Será? COM CERVEJA!

Sou mesmo e assumo. Minha mãe suou bastante pra me dar uma vida tranquila e pagar meus estudos. Tenho faculdade e 2 pós. Pessoa que não faz por merecer, eu descarto mesmo. Falou errado, perde pontos. Escreveu, chega quase a zero. Chatice, claro. Eu também erro. Mas não tem jeito. Controle de qualidade. A pessoa tem que ter o mínimo. E o mínimo se resume a sua língua natal. Drástico? Nops.

Depois vem a idade. Sempre curti caras mais novos. “Homem demora mais pra amadurecer”. Taí. Eu sou muito madura pra minha idade e não tolero brincadeirinhas toscas, descaso com pessoas ou grandezas/vantagens – os meninotes tem um papo… Fez algo babaca, descarto mesmo.

Além da idade, tem a altura. Não sou das mais altas, então me superar não é difícil. Me perdoem os casais com diferença de altura, eu não curto. Acho desconfortável. Homem mais baixo que eu, descarto mesmo.

E agora, dentes. Coloquei aparelho, clareei minha arcada. Não tem como. Eu olho se os dentes são bonitos, certinhos, branquinhos. Se não é, já me dá um desconforto. Penso 2x antes de descartar, mas dependendo do grau, descarto mesmo.

Não trabalha? Bom, fiquei 10 meses “desempregada”, procurando novas oportunidades. Neste meio tempo, não parei. Gente que não se dedica, não corre atrás, pra quê? Não pensa no futuro, não se planeja, não tem ambição. Não dá também!

Não me procura? Perdeu playboy. Pra mim, deletar é diversão. Não deu assistência, perde pra concorrência. Óbvio que um charminho sempre apimenta a relação, mas descaso não tem vez. Próximo!

Não paga a conta? Uma coisa é você dividir – eu gosto de fazer a minha parte -, outra é sustentar marmanjo sem noção. Homem pão duro, não dá. Descarto sem dó.

Não curte crianças? Desculpa, não confio em quem não curte crianças. Tem coisa mais linda?!

Não é educado e prestativo? Esses diferenciais quem analisa são meus familiares. Tem que se oferecer pra ajudar. Sentar a bunda na cadeira é término na certa. Descarto. tem que entrar no clima, trabalhar em equipe, ops, família.

Não liga pros pais? Tô fora. O nosso maior bem são nossos pais. Falou mal, destratou, já era. Tcha-uuuu!

Não tem amigos? Aí tem. Todo mundo tem amigos. Uma coisa é você ser tímido, introspectivo. Outra coisa é ser mala/problemático. De problemas bastam os meus.

Não tem religião? Ok, cada um na sua. Mas eu curto quem tem religião, FÉ. Se for espírita então, ganha 10 pontos.

Não se veste bem? Homens adoram colocar xadrez com estampa e assim vai. Mal gosto não dá. Sorry.

Não dança? Se se esforçar tudo bem. Caso não, perde alguns pontos. EU AMO dançar.

 

Está explicado por que estou sozinha? Dizem que eu sou exigente. Onde eu assino?

 

Mala pro carnaval #atualizado

Todo ano os mais esquecidos, ou desorganizados, como quiser, vão em busca de uma listinha salva-vidas. O que levar para o carnaval? Além dos clichês, alegria, respeito, limite, juízo e blá blá blá, precisamos levar alguns acessórios e objetos de grande valia.

Mala a postos? Vamos lá.

- roupas íntimas – usar a mesma todo dia não dá! Meninas, incluir tops na lista. Abadá se usa com top. Mas quem usa o abadá? Tá.

- pijama, decente!!!!

- fantasias. Pelo menos na Mansão Folia um dia é sagrado. Acessórios também são bem-vindos;

- shorts – um pra cada dia. Pode ser legging, bermudas, saias ou vestidos (para de tarde);

- blusinhas pra usar de dia. E uma malha, a gente nunca sabe quando o tempo vai mudar;

-É sempre bom tomar chuva. Pra quem não curte, guarda-chuva na mala;

- chinelo (para ficar de dia e tomar banho) e sapatos confortáveis. Obs.: Pular carnaval de salto não rola. Eu, geralmente, levo bota e tênis (leve mais de 1, porque suja muito e se você for lavar, pode não secar). Bota para as fantasias, adianto;

- roupa de cama e toalhas (2. uma pode não secar e aí você tem a reserva);

- comidinhas. Bateu aquela fome e está com preguiça de sair da casa ou o almoço vai demorar? Já era. Só pegar a sacolinha cheia de besteiras e enganar a fome;

- remédios. Se você toma remédios regularmente, nada de esquecê-lo. Vale, ainda, levar engov, neosaldina, eno, eparema… Ah, os mais precavidos podem levar band-aids, gases etc.

- colchão e bomba de ar. essenciais. Travesseiros pra quem curte também;

- chicletes. Ninguém curte bafo!

- pasta de dente, escova, sabonete (líquido é melhor), shampoo, condicionador, cremes…

- maquiagem;

-gel, pra quem usa;

-cadeados, ninguém se conhece!

-bonés e chapéus para proteger a cuca e fazer um estilo. Protetor solar é bom também;

- biquini/sunga, se na sua casa tiver piscina;

- óculos de sol (estilo e proteção);

-dinheiro e cartões – para comidas e demais despesas (táxi…);

-secador, chapinhas e afins;

- lixa, esmalte, acetona e afins;

- pinça;

-sacolas para roupa suja.

 

Pode ser? Se lembrar de algo, comenta aqui! o/

 

 

Bateu tristeza foi?!

Não sei se é a TPM ou a maldita auto-estima. Só sei que de tempos em tempos eu sinto uma vontade imensa de virar caramujo e ficar entocada em casa.

Me sinto a pior pessoa do mundo. Saio e vejo todo mundo acompanhado ou se arrumando. E eu? Continuo sozinha, jogada às traças.

Alguns vão dizer: porque quer! Ok, eu confesso que às vezes é bem isso mesmo. Porque eu quero. Mas outras muitas vezes não.

Hoje, não penso em ninguém. Juro, nessas crises existenciais, sempre ficava entrando em perfis alheios pra ficar pior. A felicidade de algumas pessoas machuca!!! Masss nem isso tenho vontade. Olhar o perfil dos ex? E daí que eles estão namorando? E daí que eles estão com meninas lindas? Algum defeito elas devem ter! Eu não sou bonita, eu sou brava, eu sou muito conservadora, eu sou eu! E daí se eles não me aceitaram assim? Não era pra ser!

Não vou dizer que não recebo convites pra sair. Aliás, alguns até me surpreendem. Mas eu sinto que é passageiro. Ou sinto que a pessoa não tem nada a ver comigo. Pra quê?

Eu posso sair gritando aos quatro cantos que não quero nada com nada, que aqui em casa o futuro é meu irmão… mas eu sonho todo dia com um relacionamento. Eu quero ter filhos… e o tempo está passando. Como eu amo crianças!

Tem dias que eu acordo chorando, me achando o coco do cavalo. Tem dias que eu acordo de mal com a vida, me achando horrível, indesejável. E não são poucos dias…

Quem me vê em milhares de fotos, sorrindo, pagando uma na balada… não sabe o que se passa na minha cabeça. O quanto eu me torturo, me julgo, me policio. O quanto eu me sinto inferior às pessoas com as quais eu convivo.

Minha prima não cansa de me dizer: está pra nascer uma pessoa com auto-estima profissional tão grande. Sim, profissionalmente eu sei o meu valor. E não é baixo. Neste quesito eu me valorizo, eu faço minha imagem, eu me destaco. Pode me chamar de esnobe, de arrogante, o que quiser. Eu sou mesmo. Porque eu luto pra ser alguém no mercado profissional. E ninguém pode estragar isso. Só eu mesma! Em alguma coisa eu tinha que ser boa, né?!

Mas quando o assunto é paquera… sou um fiasco. E não vou dizer que sempre fui não. Tive uma época de faculdade muito boa. Saía muito. Era muito xavecada. Óbvio, coisa de balada, passageira. Mas era. Alimentava o ego.

Agora… ok. Chega de ficar me lamentando. Talvez tudo isso dependa de mim. Por todos os cantos existe a frase pronta e verdadeira: só vão gostar de você quando VOCÊ gostar de si. Eu não gosto. E não precisa ser vidente ou cartomante pra perceber isso.

Quem sabe um dia…