Ele está online!

Ai meu Deus, ele está ON-LI-NE. TUM TUM TUM TUM (na velocidade 5) Morri. Será que eu mando um ‘oie’? Não. A última mensagem foi minha. O que ele vai achar? De certo que estou desesperada ou pegando no pé dele. Vou ficar na minha. Se ele quiser puxar papo, que puxe…

5…10…15 minutos. Nada. Meu Deus, gostava tanto do MSN… dava pra chamar a atenção das pessoas. Ou então, ficar entrando e saindo pra pessoa notar que eu estava ali. No Facebook, não tem nada disso. ÓDIO!

O que eu faço? Será que mando alguma coisa? Não vai parecer marcação? Sério, não vou aguentar. Vou mandar algo. De boa. Se ele não responder, ok. Se responder é lucro. O que eu tenho a perder?!

- E aííííí… tudo bom?

- Oi. Tudo bom e aí?

- Ótimo.

Silêncio.

- E aí, dormiu bem? Como foi seu dia? (nossa, que pergunta mais babaca)

- Dormi sim. Tava cansadão. Hoje o dia foi tenso. Trabalhei demais. Inclusive, tô saindo. Bjs gata

- Bjs, bom descanso

- Pra vc tb!

Oummmmmmm. Aiiiiiiiii. Que lindooooo. Durma bem meu amorrrrrr. (olhos lacrimejando, pupilas 3x maiores, dancinha sexy). Ainnnnn.

Não?

Não!

Quem nunca, que dê o primeiro like.

#falaoipraminhamão #mechama #olhaeuaqui #filmanoisgalvao #papodeelevador #mandoounãomando #cagadasdavida #quemquerfazacontecer #telefonesemfio #aloalo

Um misto de mim

Eu quero escrever, mas não tenho sobre o que falar. Na minha cabeça, o carnaval está pegando fogo. Diversos assuntos estão mostrando samba no pé com suas diferentes fantasias. Quero escrever, mas sobre o que?

Citybanda e o mocinho que queria experimentar o docinho que estava na minha boca (vulgo pirulito de coração, antes que pensem asneiras)? Acho que não. Sobre a mensagem idiota que aquele rapaz do passado me mandou? Li e não respondi. Está quase perdendo totalmente a graça. Não. Pula. Pode vir a próxima globeleza. Falar sobre raiva, insegurança e agressividade? Não, essas piriguetes não merecem atenção…

Tá. Vamos falar então sobre trabalho? Nãoooooooooooooooooooo. Ihhh fora. Ihhhh fora. Pode sair da pixxxxxta, amor. A-M-O-R. Acho que também não. Nem paqueras, nem affairs, nem desejos de consumo, nem encontros fracassados. Muito menos sobre Tinder e Kickoff.

Família, dinheiro e velhice? Não. Sorvete da Sergel, bolo de cenoura e brigadeiro? Neste caso, a gente podia degustar e não falar. Não? Tá. Amizade, falsidade e decepção? Ah, não. Deixa pra lá…

Vamos falar em quarta, quinta e sexta-feira? Também não. Sabe qual a real? Eu ando pensando demais e falando “de menos”. Se as pessoas pudessem ler meus pensamentos, ficariam horrorizadas. Enquanto penso palavrões, difamações, rezo e peço luz. Enquanto penso em jogar tudo pro alto, dou risada com algum comentário no celular. Enquanto leio um texto, paro e imagino uma cena do futuro.

Na minha cabeça, é tudo 10. Comissão do passado, 10. Comissão da ilusão, 10. Comissão do futuro, 10. Comissão do troco, 10. Comissão do “espero que sua máscara caia logo”, millllll. Mais de milllllll. Tá. Não queria falar nada, mas aqui se faz, aqui se paga. A gente colhe o que planta. E a sua insegurança só me fortalece. É isso. beijos sua linda!