Ele me mandou uma mensagem

As pessoas sempre me cobram textos. E eu dou a mesma resposta: ando sem tempo de escrever, sem vontade.

Tá. Pode até ser. Mas o que mais me faltava era a inspiração. Sabe como é, quando você sai, conhece pessoas, tem histórias pra contar. Quando não… não!

O fato é que eu vim falar de algo que eu quase não falo sobre: comportamento.

Por que as mulheres choram?

Na verdade, queria uma outra introdução, mas vai essa mesmo. Mulheres choram porque são emotivas, sofrem de TPM e paixão não correspondida. Ou porque recebem uma mensagem inesperada, de alguém inesperado, sobre um assunto inesperado.

Eu confesso, eu chorei.

O Facebook, por glória, tem mostrado posts antigos que a gente fez em anos anteriores no dia vigente. AMO esse aplicativo. Juro, entro todos os dias para consultá-lo.

E… nestes dias, apareceu um post engraçado, que ano passado fazia muito sentido. Era uma imagem com os seguintes dizeres: meiga que nem coice de cavalo. Achei engraçado e pensei: nossa, isso não me representa mais. Sério, não ando dando coices em ninguém. Não vá me dizer que zuar os carinhas no Happn significa dar coice. Adoro tanto.

Enfim, neste post, existiam alguns comentários. E quando você comenta a postagem, ela volta a aparecer para seus amigos e para as pessoas que a comentaram no passado.

Foi então que eu fiz meu pensamento “ainda bem que o tempo passa…” subir o post. E… uma pessoa curtiu meu comentário! Quem? Quem? Aquele, que um dia foi muito especial pra mim e em outro me deixou no chão, sem ter o que falar, sem entender tamanha grosseria.

Ponto.

Eu não sei o que me deu na cabeça, mas resolvi escrever pra ele, falando que há um ano ele estava me zuando… E perguntando como as coisas estavam. Havia feito a mesma coisa com um antigo amigo e ficado, loucamente, no vácuo. Não sei se é ódio, ciúmes ou descaso mesmo.

Então, confesso: eu não esperava resposta alguma. Juro mesmo. Mas ela veio. E veio com tudo.

Era uma confissão, era um pedido de desculpas, não com essas palavras. Era um desabafo! Tipo esses que eu faço por aqui.

Eu li, reli e chorei. Estava indo pra uma festa. Tive que retocar a maquiagem. Na hora, me veio aquela frase linda: encontre um homem que tire seu batom e não seu rímel. Não, eu não pensei isso, é só pra fugir do assunto.

Fiquei surpresa. Fiquei feliz em saber que no passado eu havia sido uma parte boa da vida dele. E entendi o ocorrido. Se isso muda alguma coisa? Hoje muda. Tudo passa… até uva passa (risos). Mas na época não sei o que passaria pela minha cabeça.

Eu fiquei bem chateada. Bem mal. Bem sem reação. Na hora, só pensei em deletá-lo e bloqueá-lo de tudo.

Mas o que adianta? Por muito tempo, fiquei entrando em seu Facebook pra ver o status de relacionamento, pra ver foto daquela que estava conseguindo vê-lo mais que 1x por mês.

Por muito tempo eu esperei um ‘oi’.

Por muito tempo eu esperei uma explicação.

Esperei como sempre espero e sempre acredito que um dia acontece.

O mundo é um ciclo, é uma roda-gigante.

E quer saber? Aquilo que nem começou, teve um final feliz.

Falando em feliz, FELIZ NATAL. Hohoho. Não? Tá!

Cansei de falar. Até o próximo desaba, bafo, desabafo!