Eu fui para um SPA

Eu sempre tive o sonho de ir para um SPA. Não, não me imaginava de maiô, com um super chapéu e uma taça de champagne na mão. Queria perder peso rápido.

Ano passado fiz umas cotações e resolvi investir o dinheiro em uma viagem para o Nordeste. Justo, vai. All inclusive. Bebida e comida “free”, por menos que o valor do SPA.

Passou um ano e… desta vez não ia mudar de ideia. Fiz as contas e sim… conseguiria realizar o meu sonho no ano que completaria 30 margaridas.

Arrumei as malas, peguei o carro e fui… parar em Sorocaba. Já ouviram falar do SPA MED? Um dos mais conceituados no país. Pra mim, um hospital particular (risos).

Cheguei acanhada. Demorei 3 dias para perceber que tinha feito o pior investimento da minha vida. E ainda faltava uma semana de sofrimento.

O lugar é lindo. As pessoas, extremamente agradáveis. No 2º dia, já me chamavam pelo meu nome. Eu tomei um susto. Como pode?

As refeições tinham hora para ser consumidas. Nada de prato no quarto, você precisava caminhar até o restaurante para comer ou, no caso do café, buscar o lanchinho e levá-lo ao quarto!

O café da manhã era um espetáculo, não conseguia comer tudo. No almoço, eu dava risada. Sério, eram hilárias as porções, de tão pequenas. E a comida não tinha sal, tempero. Mas eram boas! Porém, em pouca quantidade.

Aí tinha o lanche da tarde, o jantar e a ceia. Contava no relógio as horas para ir buscar uma gelatina ou um mísero pedaço de fruta. Uma vez a moça disse que tinha banana. Fiquei maior feliz. Quando vê, ela me deu uma fatia de banana. UMA FATIA. Quase chorei.

Sofri. Sofri porque não tinha forças para fazer nada. Minha dieta começou com 300 kcal por dia e depois subiu para 450 kcal. É pouco? Sim. Mas se você viver em função disso, sobrevive. Agora, comer só isso e trabalhar, praticar exercícios… não dá.

Aliás, você poderia praticar 3 atividades por dia. Eu fazia academia e esteira só. Não me dou bem com danças. E não tinha forças também. Um dia, fui na academia e fiz musculação e esteira. Aí me chamaram para uma partida de vôlei. Adivinha? “Só mais um ponto, mais um, outro…” PASSEI MUITO MAL.

Minha pressão caiu. Fui tomar banho e quase desmaiei. Liguei correndo na recepção e queriam me buscar para passar pelo médico plantonista. Disse que só queria a comida no quarto, porque não tinha forças para ir buscá-la. Me atenderam. E ainda mandaram tudo em dobro. AMEI. E não aguentei comer. Ô dureza.

Essa foi minha rotina por 10 dias. Se perdi peso? Sim, 3,5kg, que em uma semana se tornaram 2,5kg. Nosso mundo é surreal. Foi só comer um biscoito água e sal e já ganhei 1kg.

O investimento é caro. Eu quase desisti. Eu só pensava em comida. Mas a experiência é bacana. Ainda mais se você tem uma folguinha financeira para fazer massagens todos os dias – o pagamento é à parte.

Voltei com 5 feridas no estômago. Passei muito mal. Achei que ia morrer. E ainda tenho que escutar: “pagou um mundo, não adiantou nada e ainda ficou doente”. Não ligo. E se você tem a vontade louca que eu tinha, também não deve ligar. 3,5kg não é pouco para uma mulher, na minha idade, por 10 dias. Tinha um senhor que em uma semana tinha perdido 7kg, mas gente, ele era obeso mórbido. Muito mais fácil perder peso. E homem… Tenso.

Eu realizei um sonho no meu aniversário de 30 anos. Eu paguei com o meu trabalho. Eu fiquei 10 dias sem problemas na cabeça. O único problema era a comida. Na verdade, a hora de buscar a comida. Que fase.

Se eu indico? Acho que não. Existem outras maneiras de você perder peso. Demora mais, mas nossa, pelo menos você não fica sonhando com bolos, bolachas e chocolates todas as noite. Foi difícil, mas foi. Eu realizei um sonho.

O que me machuca

Faz tempo que eu evito este assunto. Talvez porque eu queira ser mais forte do que eu seja. Talvez porque eu não queira sofrer. Talvez, quantos talvez…

Eu acho que já falei isso, mas nossa, em outra vida eu devo ter sido a maior filha da p*. Porque olha, esta vida não tá fácil não.

Sabe aquele jogador que recebeu a chance de mostrar seu talento em campo, que entrou, fez ponto, ajudou o time, mas sabe-se lá porquê o técnico o colocou no banco? Então, é como eu me sinto. Não, não me sinto nas Olimpíadas. Aliás, tô bem por fora. Mas é uma metáfora contextualizada.

É assim, sempre assim. Quando eu acho que vai, “ihhhh fora, ihhhh fora.” Como é que é? Primeiramente, fora Temer! (risos)

Aconteceu de novo e pode acontecer mais mil vezes. Eu estava tentando. Ser boazinha, ser romântica, ser marcante. Não consegui. E descobri isso pelo Facebook – que moderno. “Fulano está em um relacionamento sério com…”

É duro quando você descobre que vai ter que sair do campo no susto. Estava tudo bem. Ao menos eu achava que sim. Aí ele sumiu por uns dias e apareceu namorando outra. Eu disse dias e não meses. O que se pressupõe?

Eu só não sofri porque a notícia veio junto com uma quase multa durante o Entrega por Campinas. Enquanto meu coração palpitava ao ver a mudança de status, uma policial tentava multar uma de nossas voluntárias. Desci correndo do carro pra ver o que estava acontecendo. CORRENDO. Adrenalina  vezes 2.

E aí, a multa não aconteceu. E eu só consegui mandar uma mensagem, antes de bloqueá-lo de tudo: “Espero que seja feliz!” Nossa, que Sandy. Que lady, que… nada a ver comigo. A vontade era comentar em modo público: você não tem nada pra me dizer, não?

E não disse. Não dei chances. E posso falar? Acho que não falaria. Ignoraria. O que você fala numa hora dessas? O que você espera de um cara mega maduro como esse?

Pensei muito… nos meus rolinhos. Quando eu não queria… o que eu fazia? E sim, eu me distanciava. Ignorava mensagens. Eu acho que nunca dei satisfações. Eu tinha que dar? Eu tinha 20 anos, gente.

Eu senti na pele o silêncio, a mudança de estratégia, o adeus, baby. E não, não foi bom.

Apesar de eu não saber o que dizer “Conheci outra pessoa…”, “Você não é bom o suficiente…”, eu sinto que o se importar com o outro, o respeitar, precisa entrar em pauta.

E por que eu estou falando tudo isso? Porque eu ouvi uma música que me lembrou todo o ocorrido. Porque eu quero que as pessoas sejam mais altruístas e se coloquem no lugar do outro… que falem de sentimentos… que sejam transparentes, como as marcas têm feito ultimamente. Desculpa, eu trabalho com publicidade, não tem como desvencilhar a vida profissional da pessoal.

Não quer mais? Fale. Não suma. Não deixe as pessoas pensando em hipóteses, cultivando esperança.

Ouvir um “não dá mais”, “não me manda mais nada”, “estou em outra”, “conheci outra pessoa”, dói. Dói muito. Mas é uma dor sincera, que vai passar. Uma dor necessária. É choque de realidade, meu irmão. É a vida que passa.

Tenham respeito pelos outros. Pensem que o mundo dá voltas e amanhã pode ser você que estará chorando, sofrendo, pensando mil bobagens.

Se eu chorei? Muito menos do que eu imaginava. Se eu pensei sobre? Muito. Se eu tenho esperança de um dia esclarecer tudo? Não. Não mesmo. Acho que ficou bem claro que a gente não combina. Eu não sou boa o suficiente. E nem vou dizer que é infelizmente. Porque eu acredito que as pessoas entram em nossas vidas por propósitos.

E pensando aqui, o seu propósito foi me fazer enxergar a 25ª troca como normal, como um “não era esse”. Eu acredito em destino. E o meu não está ligado ao seu. Ainda bem!

Quer saber? Se um dia você ler este texto. Se um dia você se lembrar de mim ou sentir saudade do meu sorriso, sincero… ouça essa música (Louca de Saudade – Jorge e Mateus):

“Se uma canção me lembrar
Troque o Cd não ouça mais
Se um perfume me recordar
Troque de marca, não use mais
Já que me trocou por um outro alguém
Substituir é o que te convém

Mas quando o coração não me enxergar
Vai te deixar louca de saudade, louca de saudade
O coração vai me desejar
E te deixar louca de saudade, louca de saudade

Eu quero ver então, se vai poder trocar de coração

Se algum lugar me lembrar
Troque de rota, não passe lá
Se um filme me recordar
Troque o canal, é só desligar
Já que me trocou por um outro alguém
Substituir é o que te convém

Mas quando o coração não me enxergar
Vai te deixar louca de saudade, louca de saudade
O coração vai me desejar
E te deixar louca de saudade, louca de saudade

Eu quero ver então, se vai poder trocar
Eu quero ver então, se vai poder trocar de coração

Mas quando o coração não me enxergar
Vai te deixar louca de saudade, louca de saudade
O coração vai me desejar
E te deixar louca de saudade, louca de saudade

Eu quero ver então, se vai poder trocar
Eu quero ver então, se vai poder trocar de coração”

Isso me machucou, mas serviu como lição. Isso me fez mais forte. Isso me fez ver que a gente erra uma vez, erra duas, mas não se deixar levar pelo erro de novo. Aliás, faz dele um aprendizado, um case de gestão de crise. E, talvez, você não saiba, mas eu sou muito boa nisso! Te vejo nas próximas voltinhas do mundo, até lá.

O vácuo da paixão

Não, não se trata de um fora. Talvez não só um. Risos.

O vácuo da paixão é aquela fase pós término de um relacionamento. Aquela fase que você se acha incapaz de voltar a gostar de alguém. Que você se acha horrível, não tem vontade de sair de casa, só pensa em descontar toda a sua miséria pessoal na comida.

Essa fase. Que fase. Quantas vezes ela. Sempre ela.

Estou no vácuo da paixão. No período de 6 anos, estive nele por algumas vezes.

Sofri tanto que achava que meu destino era ficar sozinha. Vocês não têm dó?

Fui trocada 1, 2, 3x. Fui lembrada muito mais vezes. Até hoje não entendo essa lógica doida do “o mundo dá voltas”. Por que mesmo que as pessoas vêm e vão? E quase nunca em vão?!

Eu sou uma eterna apaixonada. Palavras me conquistam. Atitudes também, mas elas me deixam sem graça. Eu gosto das palavras. E quando recebo algumas de presente, fico viajando…

Num teste de personalidade, eu sou, com certeza, a sonhadora. [eu viajo, não liga]

E é por sonhar demais, que eu sempre acordo e caio no vácuo da paixão. Acho.

Parei pra pensar. Já sofri por grandes paixões. Caras que me marcaram mesmo. Mas gente, já sofri por caras que não têm nada a ver comigo. Alguém pode mandar a Senhora Carência lá pro Talibã?

Pô, que sacanagem.

Caras que são tudo o que eu não quero perto de mim. Arrogantes, babacas, infantis (no pior sentido da palavra).

Por que, né?

Um deles disse que é porque eu sou insegura. Que homem não gosta de mulher insegura. E que eu sou muito careta. Por isso, não paro com ninguém.

Falou o Porto Seguro. Falou o galã da Austrália. Falou o meteoro da paixão.

Sério mesmo que eu preciso ser igual a nova geração? Preciso experimentar tudo no impulso? Sério mesmo que eu preciso fazer o que eu não quero pra agradar? Que eu preciso fingir uma intimidade que não existe? SÉRIO MESMO?

Sério mesmo que eu preciso me achar a melhor de todas mesmo estando acima do peso, com espinhas no rosto e com a celulite sambando na sapucaí?

Gente. As pessoas não são inseguras, elas estão inseguras. Velho dilema do ser e estar. As pessoas não precisam ser O QUE VOCÊ QUER QUE ELAS SEJAM. Elas podem, certa vez, estar nesta energia louca, mas ser?

Cada um nasceu de um jeito. Cada um foi criado de um jeito. Cada um tem seu defeito. E também seu par perfeito.

Quer saber? Desculpa, mas eu não sou obrigada. Nem de nada. Tchau.