Um tal de Fernando…

Não tive um Fernando em minha vida. Ainda não me casei. Não tive filhos. Não comprei uma cadeira de balanço. E nem tenho cabelos brancos. Mas me identifiquei.

Luan Santana lançou, ontem, sua nova música de trabalho: “Te Esperando”. Esqueça seu preconceito. Esqueça o estrabismo do moço. Esqueça sua fama de homossexual (e se for? e daí?!). Esqueça tudo e foca. Foca na letra. Na letra! O papo agora é entre mim, você e ela, a letra.

“Mesmo que você não caia na minha cantada
Mesmo que você conheça outro cara
Na fila de um banco
Um tal de Fernando
Um lance, assim
Sem graça”

Quantas pessoas não gostam em silêncio? Não gostam sem assumir? Você não cai na cantada dele ou dela, tanto faz. Você acha que é brincadeira. E ri. Mas e se for verdade? E se você conhecer um tal de Fernando na fila do banco, no supermercado, na padaria? E se estiver carente e se entregar, se casar, tiver filhos… E se a pessoa continuar gostando de você e te esperar? 20, 30, 40 anos. Pensando em você, em como poderia poder te fazer feliz?!

“Mesmo que vocês fiquem sem se gostar
Mesmo que vocês casem sem se amar
E depois de seis meses
Um olhe pro outro
E aí, pois é
Sei lá”

Quantos casais estão juntos sem se gostar, sem se amar?! Passam meses, anos, se olham e não sentem nada. Nem paixão, nem amor, nem desejo. NADA.

“Mesmo que você suporte este casamento
Por causa dos filhos, por muito tempo
Dez, vinte, trinta anos
Até se assustar com os seus cabelos brancos”

Muitos se suportam apenas pelos filhos. Filhos esses que vivem em um teto sem amor. Lar? Não. Um teto, sem amor. Sem carinho, sem elogios, sem energia.

“Um dia vai sentar numa cadeira de balanço
Vai lembrar do tempo em que tinha vinte anos
Vai lembrar de mim e se perguntar
Por onde esse cara deve estar?”

E aí, o tempo passa. A música toca na vitrola, no rádio, no iPod, no celular, no tablet… E as lembranças vêm na cabeça. Por que não tentei? Por que não aceitei a cantada? Por que eu…?! As lembranças te dominam. Onde será que está aquela certa pessoa?

“E eu vou estar
Te esperando
Nem que já esteja velhinha gagá
Com noventa, viúva, sozinha
Não vou me importar
Vou ligar, te chamar pra sair
Namorar no sofá
Nem que seja além dessa vida
Eu vou estar
Te esperando”

Aquela pessoa pode estar te esperando. Com uma foto na mão, uma embalagem de bala, de bombom, um bilhete escrito no guardanapo… te esperando sem ligar para o seu cabelo branco, suas marcas de idade, seu estado civil. Te esperando para pegar na sua mão e namorar no sofá, à moda antiga. Esperando para dar o amor que você insistiu em não aceitar… nos seus vinte e poucos anos.

Quer que essa seja a sua história? Uma linda história, mas que pode ter um final muito diferente. Experimente, quebre paradigmas, divirta-se. Acredite nas pessoas. Acredite no amor. Não deixe o tempo passar em vão. Não faça planos sem sentimento. Não construa uma vida sobre areia. A vida é tão curta…

Luan Santana, o meu beijo a você!=) Eu estou Te esperando!!!