Conselhos de um velho sábio

Vi este título no Facebook e achei o máximo. Na hora me veio quem em mente? Preto velho, claro.

Ontem era dia de centro. Faz uns dias que eu não tenho vontade de ir. Liguei pra casa pra avisar que tinha desistido. Não tive alternativa. Fui.

Cheguei lá e consegui falar com um dos guias com quem eu sempre conversava. Fui sem expectativa nenhuma. Só queria um passe. Quer dizer, queria um conselho e não sabia. Eu vivo fugindo dos problemas e das ajudas alheias. Sou do tipo que gosto de resolver as coisas sozinha. Mania de independente metida a salvadora da pátria.

De primeira, ele comentou sobre minha energia. “Você mudou sua energia!” A expressão não parecia ruim. Sim, eu tenho feito um esforço enorme para evitar aborrecimentos, para deixar a razão de lado e ser feliz. Sabe aquele lema “Desisti de ter razão, eu decidi ser feliz”? Então, virou meu. Meu, com possibilidade de ser seu também. #partiu?

Estou fugindo de brigas e de energias que me fazem mal. Sim, hoje eu sei distinguir o que é bom ou não, o que eu quero comigo e o que eu quero bemmmm longe de mim. Progresso mode on. YUHULLL!

Depois, mandou logo uma pergunta: “você tem cuidado da sua saúde?” Tendo em vista que eu estou doente há 2 semanas, acho que a pergunta fez mega sentido. Estou fazendo exercícios (ponto positivo), comendo melhor (2×0), mas continuo indo até o limite pra não decepcionar as pessoas. Será que é esse o caminho mesmo? Deixo a pergunta no ar.

Me ensinou algumas coisas e disse algo que me marcou: “pare de pegar os problemas dos outros.  Se você se meter nas coisas alheias, pode vir uma ventania e levar todo mundo, inclusive você!” Quantas vezes me vi assumindo a briga alheia, por ter mais voz… Quantas vezes, me vi comprando briga alheia… Quantas… Eu tento, mas acabo sempre vencida pela vontade de ajudar. E sim, eu me prejudico. Chega, né?

Último ensinamento, porque estou com dor nos dedos de tanto digitar hoje (risos), “quem pula a cerca, não sabe o que leva pra casa”. Claro, fora de contexto ela faz muito mais sentido. cof cof cof. A história não tinha a ver com injustiça, malandragem e infidelidade, mas achei super válida. O que passa na sua cabeça?

Reflita e seja feliz. Não? Eu refleti…

bjs fui

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>