E o coração? Vai bem!

Bom, sinto lhes dizer, mas se eu não morri hoje, eu não morro mais. #naneimortal

Sempre almoço em casa, mas hoje, justamente hoje, minha mãe pediu que eu almoçasse na agência. E obediente que sou, o fiz.

Mas o que comer? “Ah, faz tempo que não ando. Acho que vou lá na padaria…” Vulgo 2 quadras do meu trabalho. Achei que o pequeno salto não influenciaria, massss, confesso, doeu um “cadinho”. FOCO. Estou subindo até a padaria e a rua DESERTA. Nem um serzinho pra contar história ou me salvar, caso eu precisasse – e quase precisei!

No caminho vi um moço com sua mãe indo pra outra direção. Ok. Mas mesmo distantes, eu ouvia passos, que se aproximavam. Eu só pensava “Eu não tenho o que dar. Se ele me assaltar, digo que só consigo pagar um almoço; chamo ele pra almoçar comigo…” Sim, eu viajei em 5 segundos.

De repente, o cara soltou um “Boa tarde”. Aí meu coração foi na boca. Juro, eu gelei. E continue pensando “Não, não deve ser comigo. Vou fingir que não é comigo e continuar andando. Meu Deus, cadê as pessoas na rua?” E não, não era comigo. O imbecil estava no celular. E precisava me assustar? Logo ele foi pro outro lado e passou, passou.

Beleza. Cheguei no restaurante, pedi um lanche e um suco e fiquei esperando. O suco veio errado. Levei mesmo assim e estava bem bom. FOCO. Saí do restaurante com minha sacolinha rumo ao meu trabalho. Ao atravessar a rua, ouço uma mulher gritando e vindo na minha direção! “É hoje”, diria a grande compositora da atualidade Ludmila (risos).

Diminui os passos, pra ela seguir adiante na minha frente. Tipo, abri alas pra querida. Mas que adiantou? Do nada ela parou e ” Ô tia…” Era comigo. P*ta merda. Tia? Ela tinha idade pra ser minha mãe. Mentira. Mas era mais velha que eu. E eu era a tia. Tá. Neste momento meus “Divertida Mentes” começaram a correr de um lado pro outro. “Meu Deus, finjo que não é comigo de novo ou paro e escuto?” Parei e escutei.

“Vê se eu tô errada. Aquelas moças tão dando em cima do meu marido… tudo talarica… não tem que morrer?” O que você responde neste exato momento?! Eu só consegui dizer ” como assim? por que você não vai lá com ele, então, já que ele é SEU marido?”

Ela, quase chorando, “não, eu não quero mais ele… talarica tem que morrer… e pior, eu tô grávida dele…” E saiu andando, mexendo com um outro cara que estava na calçada.

Acho que ela não curtiu minha resposta. Uai. Se era dela, ela que fosse lá marcar presença. Não? Não! Ela não quer mais ele. Certa ela. Medrosa eu. Quase morri.

Ela foi para um lado e eu para o outro. O marido eu não sei quem é. As talaricas então… nunca vi mais gordas. E o cara do celular?

Quer saber, vamos falar de coisas boas… E o coração? Vai bem, obrigada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>