Eu cheguei naquela fase!

Eu sempre li textos/matérias falando que os verdadeiros amores nascem de grandes amizades. Abri minha lista de amigos do Facebook e vi as possibilidades. Nulas. Os amigos verdadeiros estavam namorando. PS: namoradas super legais, que eu adoro de paixão. Os colegas, bem, os colegas são colegas, então não rola nada. E os amigos solteiros? São amigos, poxa!

Massssssssss só agora eu estou começando a entender esse lance de namorar amigo. Não precisa ser meu amigo. Pode ser amigo de um amigo, né?! Por que não?!

O fato é que eu cheguei naquela bendita fase de que o novo é meu desejo de consumo e o amigo, aquele conhecido das antigas, é a possibilidade da vez.

Sabe aquele paquerinha de quando você tinha 14 anos? Então… ele pode voltar a fazer parte da sua vida. Aquele olhar que ele nunca dirigiu a você, pode estar agora lindo e conquistador mirando seus passos. Bem por aí.

Nunca achei que fosse chegar a este ponto. Balada não me atrai mais. Encontro entre os amigos preenchem meus finais de semana. Vai que um amigo do amigo… Ai gente, eu vejo cada foto no insta. Dá vontade de falar “não vai apresentar, não?!” Mas eu não faço. Não é da minha índole dar uma dessa. Alguns diriam, bêbada certeza. Eu vos digo, não estou bebendo mais. Blé! Ok, se você viu foto minha de cerveja deve estar pensando: mentiroooosa. Eu vou beber, mas quando der na telha. Não vai ser todo dia, todo fim de semana. Vai ser um brinde, com um amigo aí! =p

Cheguei na fase. E acabo rindo de mim mesma. Como pode? Em 1900 e bolinha a gente podia ter tido um lance, um romance e nada. Aí hoje, quando estamos mais gordinhos, com menos cabelo do que antes (risos), a história vem à tona. Que mundinho. Que nostalgia. Que desejo repreendido, hein?! Conta mais!

E não, pretendentes, eu não encontrei ninguém, ainda. Ok, já. Mas o tum tum não bateu forte. Mas curti essa fase. E dos detalhes. Por que será que as pessoas lembram de detalhes e eu não?! “A gente se conheceu em 1999, eu lembro…” OI? Eu não lembro, mas contaí que eu adoro essas histórias. Vai que meu cérebro resolve mostrar o ZAP!

Se você fez parte do meu passado, foi a fim de mim na escola ou na faculdade, tipo assim, e estiver na mesma fase que eu… vamos tomar um café? Ok, abro uma exceção. Uma cerveja? Um vinho? Adoro conversar. Só isso. Saio pra conversar. Não? Simmmmmm. Que fase! Procura-se amigo com dom de namorado! Ah, e que seja insistente. Eu sou do tipo que adora conversar pela internet, mas evita ao máximo contato real. Sou sincera. Sempre!

Um coração em fluxo

Não sou Joelma, mas a Lua me traiu neste fim de semana. Que coisa maravilhosa era aquela? Grande, linda, amarela… ahhh! Noite romântica. Ou não. Noite da pilha, da ressaca, das fofocas. Você lembra o que você fez ontem? Maldita vodca. Eu lembro. Em partes. Eu penso, em partes. Foram poucas horas de sono para recompor meus pensamentos. A lua, linda, romântica e eu, aqui, sem inspiração. Sem paixão, sem decepção, sem rumo. Como pode?

Antigamente, tinha uma história por semana pra contar. Agora, passam os dias e o que me resta é o fluxo. Meu coração em fluxo. O sangue não anda, corre, tira racha. Meus pensamentos se dividem em trabalho, estudo, família, festas. Sim, as festas voltaram. Uhulll. Coisa boa demais.

Entre uma mensagem e outra. Entre uma cutucada e outra. Um sentimento. Quero você. Mas você nem sabe. Nem sonha, nem imagina, nem faz nada. “Uma frô pra uma frô. Uma pamonha pra um pamonha”. Ops. Você. Será? Onde? Quando vou te ver de novo? Do nada. Sem saber. Sem poder. Sem perceber. Eu quero. E não sei o que fazer. Que rima bonita.

Enquanto penso em um plano, minha cabeça viaja. Será? Aquele? Atenção. Carinho. Amizade. Hmmmm. Tem gente que vai ler e se identificar. Um, dois, três, quatro, pra ficar maneiro eu quero… Use a criatividade.

Só sei que é assim.

Quem é?

Quando eu falo que só atraio loucos, o pessoal não acredita. Mas eu provo. Ah, eu provo. Estou eu, em casa, sábado à noite (ohhhhhh), quando chega uma mensagem no celular. “Queria te ver”. Hmmmm. Um filme passa pela sua cabeça. Você lê, relê e pensa: quem será o Benedito? (risos)

Número de SP. A coisa começa a ficar mais difícil. Todos os seus amigos de SP estão devidamente salvos em sua agenda. Quem será? “Queria que você viesse aqui me ver…” Joguinho então. Eu, toda curiosa, “te ver? Em SP?” A pessoa riu e disse que estava em Campinas. WTF? A cada minuto uma mensagem nova. Até que você para de responder e a pessoa resolve dizer quem é.

Assim, você jamais iria imaginar. Por que essa pessoa está me escrevendo? Quer me ver? Ahhhh, fala sério. Mas né, você é legal e responde “ó, que surpresa”. Diz que não pode ir vê-lo, porque está fazendo um trabalho e para de responder. Mas a pessoa não se contenta e te manda mensagens e mais mensagens. Sem resposta, lógico.

No outro dia, o celular dá aquela tremedinha: “você ficou brava comigo? Fez bolo e não me chamou…” Eu devo ter cuspido na cruz, certeza. COMO?! Mas o pior está por vir, calma!!!! Respondi que não havia ficado brava e ponto. Assunto encerrado, ok? Nãoooooooooo, nada de Ok.

A noite chega e com ela uma mensagem. Vou ver, é da mesma pessoa. Tan tan tan tannnnn. Preparados? Ele escreveu, eu não respondi. Ele mandou: “quem é?” Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh, sério? Eu ri litros. O cara me encheu o saco. Viu que eu não correspondi e me deletou? Quis fingir que outra pessoa pegou o celular dele? Queria ver se eu respondia? Meu Deus, alguém me explica? Estou até agora sem entender.

A única coisa que eu sei é que as pessoas são loucas, varridas, e que eu sou muito legal. Fala sério. A gente dá o pé, o povo quer o corpo inteiro. Ui! Amigão, sabe quem é? A menina que era amiga do seu primo. Que te viu uma vez na vida e não tem a mínima intimidade e vontade de ir te visitar! E já que você quer bolo, você vai ter. TU TU TU!

Você quer gostar quanto?

As mulheres vivem em busca do príncipe encantado. O cara moreno alto, bonito e sensual. No fim, acabam se desiludindo. Sério? Muito sério. Se soubessem que a alguns km existem pessoas que dariam o mundo para estar ao seu lado… não fariam nada!!!

A gente, infelizmente, não manda no coração. Agora, que o nosso coração é sempre meio atrapalhado, não tenho dúvidas. Ele gosta de quem não está nem aí pra gente. Que nos usa e depois joga fora. CHOREMOS!

Seria tão mais fácil gostar de quem gosta da gente, diz aí?! Aquela pessoa meio “esse cara sou eu”, que te manda mensagem de “bom dia”, que se preocupa com você, gasta o que pode e não pode só para estar ao seu lado, que é carinhoso, que beija bem (vamos elogiar, né?), que cuida de você e faz de tudo pra te ver bem. Aquele cara. Bonzinho, especial… que você quer como amigo.

Vai entender! E vem cá, nada de julgamentos. Os homens também são assim. Mulheres boazinhas? Eles querem as santinhas fora de casa e diabinhas entre 4 paredes. As moças de família estão fora da lista de preferências. Também, com tanta mulher abrindo as pernas a deus dará, perdeu a graça conquistar! Tô áspera mesmo. Na TPM eu fico ainda mais sincera. Me deixa!

Eu sou do tipo que torce por uma tecnologia ultrarromântica que una as pessoas através de um único clique. Não, nada de mouse, computador, site de encontros e afins. Um botãozinho que a gente apertasse e despertasse o cupido. Ele vinha correndo, perguntava quanto você queria gostar da pessoa e acertava a flecha em cheio. É esse. VRUMMMMMMMMMMMMM. Ta na na na nannnnnn! “Love is in the air” na caixa, DJ!

Ok, eu viajo. Sim, eu viajo, literalmente. E viajando, eu queria gostar de quem gosta de mim. Eu queria fazer feliz quem quer me fazer feliz. Sabe? Mas a gente não tem controle da nossa cabeça, do nosso coração. Infelizmente. Seria injustiça da minha parte alimentar algo que eu não possa sustentar. Me sinto muito melhor dizendo a verdade. Muitas vezes, a amizade vale mais do que um relacionamento de fachada. Fique bem, eu quero o seu bem!!! =)

O que passa?

Sempre li em revistas, blogs, livros e afins, que uma verdadeira paixão nasce das amizades. Aquela pessoa que te conhece tão bem, mas tão bem, que se  bobear, sabe mais sobre você do que você mesma. Aquela pessoa que sabe todos os seus podres, seus medos, aflições… que comemora contigo suas conquistas, suas provas, suas vitórias. Aquela pessoa que hora ou outra te manda uma mensagem de saudades, sem maldade, genuína mesmo. A pessoa que de um dia pro outro se torna alguém imprescindível em sua vida. Sabe como?

Não, não eu encontrei alguém assim, mas adoraria. Ok, estava quase lá e não sabia. Um amigo, sempre ele. Uma festa. Pessoas incentivando. O beijo. “E amanhã? Como eu vou olhar na cara dele? Como vai ser?” Normal, ué! Mensagens, beijos no rosto, alguns na boca e assim vai… Os meses passam, vocês se encontram pouco, mas quando se encontram é bom. Você nunca demonstra nada. Amigos, ué, amigos com benefícios. Calma, só beijos.

A vida segue. Ele sai com outras, você com outros. Mas e daí? Vocês não têm nada. Se gostam, se escrevem, se veem.. Só! AHAM! Até que um belo dia você abre o bendito Facebook e se depara com um post. Um Check-in. Fulano de tal está com Ciclana de tal em tal lugar. HMMMMMMMM. Você sente um aperto no peito. Mas por que? Você não sente nada. Vocês não têm nada… AHHHHHHHHHHHHHHH!

As lágrimas caem, sem esforço. Mais uma vez? Você não havia prometido que não se envolveria? Que não sofreria mais? Controle sua mente. Ah tá!

Bom, hora de tomar alguma atitude. “O que os olhos não veem, o coração não sente!!!” Sem pestanejar, você o deleta. Se sente melhor. Não quer ver. Se ele tem alguém, que seja feliz com este alguém, mas não debaixo do seu nariz. Ser segunda opção? JAMAIS!

Passa um dia e ele se toca do seu feitio. Por que ele, tão inocente, foi deletado? Ok, sem ironias. Você diz, com eufemismo, lógico, que o deletou porque não quer ser espectadora de seu romance. Na verdade, queria dizer: não curti! Senti ciúmes, fiquei mal e fodam-se vocês! Não, você não é tão ruim assim. Você deseja que ele seja feliz, mas… longe de você!!!

Ele não se conforma. Joga na sua cara que você viaja. Melhor do que te chamar de louca, né?! Diz que você vive na gandaia, em outras palavras (ele também usa eufemismo, mesmo sem saber), e que nunca fez ceninha. Hmmm, virou peça de teatro, então! Ah, e fala que você está julgando sem saber o que acontece. E desde quando você quer saber? Se ele conheceu ela há um ano, se é ex, se conheceu no reveillon, se ela já veio pra cá?! Você não quer saber. Hello!

Assume seu lado viajante e manda um ” be happy”. Agora, peço uma opinião masculina. Se vocês gostassem da viajante , o que fariam? Tentariam se explicar? Confessariam nunca ter imaginado tal reação? Tentariam esclarecer a situação, correto?!

Ele teve colhões para comprar uma passagem pro Sul, mas pra te explicar algo, NÃO. Ele gosta dela e não de você. Aprendam a ser realistas, meninas. “Bora pra outra”. E be happy!

Posso tirar uma foto?! #cpbr5

Você nunca sabe o que uma foto pode causar na sua vida. Aqui é assim, cada twitada é um flash. De repente, um cara de camiseta azul me chamou a atenção. “Vivi, quem é esse cara? Ele é famoso, né?” Ex-BBB identificado.  Não quero entrar no mérito de celebridades momentâneas ou afins, eu apenas reconheci aquele rostinho bonito.

“Vamos lá tirar uma foto”. Bom, eu tiro a foto, mas não saio nela. E o pior, já chego perto da pessoa rindo. Uai, pra descontrair o ambiente. Ele vestiu a camiseta da empresa que está representando e sorriu. Oumm, que fofo.

Quando eu me dou por mim, “nossa, nossa”. Um amigo aparece, com a mesma camiseta promocional da Youppie. Se você curte falar com seus amigos via Skype, entra no site, parece ser legalzinho! =) Chega de jabá. O fato é que o amigo do ex-BBB chama atenção.

E tudo que chama atenção, merece um registro. Tirei foto do cara. Quer dizer, de suas costas. Ele não ficava de frente por nada. Mas até aí, TUDO BEM. Ele jamais veria a foto. Aham…

De repente, um comenta, dois comentam… A foto ficou aberta na tela de um amigo e… o cara apareceu. Veio entregar flyer da tal da Youppie. E até lembrou da Vivi: “Voê até tirou foto com o Leo, né? Estamos exatamente aqui na frente de vocês…” Nem vi não! E falando em ver, será que ele viu as próprias costas na tela de um outro homem?

Perdi a respiração, o calor subiu. Engasguei com a água. COMO ASSIM?! Não imaginava que o cara viria na nossa bancada. Ai meu Deus. agora querem pedir o e-mail dele. Não é que o bonitão da balachita foi sentar na bancada de uns amigos?! Vem sentar aqui, seu lindo! Uel, uel uellll!

Adorar, gostar e amar…

Você convive com uma pessoa. Quando estão juntos, parece que o tempo para, qualquer brincadeira boba se torna a coisa mais divertida do mundo, a  conversa flui por horas e mais horas… Você adora, gosta ou ama essa pessoa?

Hoje, conversando com um amigo, brinquei: você gosta de mim? A resposta foi: eu te adoro. Só? Qual a escala de sentimento ideal? Verdadeira? Acho isso bastante subjetivo, mas ao meu ver, a ordem é: adorar, gostar e amar.

Eu adoro a companhia de algumas pessoas. Adoro as conversas, as farras. Quando a pessoa já tem um grau de intimidade comigo, ou seja, é meu amigo há algum tempo, acho que o sentimento passa de “adorar” para ‘gostar’. Tão forte como o “amar’, mas menos íntimo.

Vire e mexe mando votos de parabéns com um “gosto muito de você”. Forte, sentimental, verdadeiro. É algo como eu te adoro muito, te admiro… eu GOSTO de você! Faz sentido?!

Agora o “eu te amo”, está em outro patamar. Expressão batida para muitos, difícil para mim. Tenho certa dificuldade de traduzi-la – a expressão – em fala. Quero, às vezes, falar um “mãe, te amo” do nada. Mas não sai. Eu escrevo com facilidade, mas falar… Digo que amo minha família, meus amigos, o que eu faço. AMO MESMO, mas até aí, beleza… O duro é assumir isso em voz alta.

Então, voltando à primeira pergunta do post, se o “você” fosse eu, diria que… Peraí, preciso de mais informações. Essa pessoa é um amigo? Eu estou ficando com a pessoa? A gente namora? Se for meu amigo, com certeza eu AMO. Se for um ‘lance’, no começo é ADORO, depois de um tempo GOSTO e… quando se torna namoro, não tem jeito, AMO MEEEEESMO!

E você, me adora, me ama ou apenas gosta de mim? Valeeeendo.