Do Youtube para Youtuber

Ontem foi dia de falar sobre Youtube. Confesso que fui na palestra de curiosa. Recentemente, tive um cliente que queria bombar no Youtube e eu não sabia como ajudar – ele não fornecia conteúdo, aí fica difícil, né?!

O fato é que Federico  Goldenberg, Gerente de Parcerias Estratégicas do Youtube, lotou o Palco Gutenberg e nos contou “segredinhos” interessantes sobre a ferramenta de vídeos.

Vocês sabiam, por exemplo, que as gravadoras têm ganhado dinheiro com o Youtube? Na minha cabeça, elas estavam “p” da vida, por conta dos direitos autorais. Mas não. Existe um programa de parcerias do Youtube que possibilita a monetização dos vídeos.

Funciona assim: eu sou dona de um vídeo. Todo mundo começa a replicar meu conteúdo. Eu fico louca. Não, pera. Eu entro no programa, subo o vídeo original e começo a ganhar com isso. Como? Com publicidade. E aí, em todos os vídeos replicados começam a aparecer anúncios de outras marcas. E o dinheiro investido por elas vem pra mim! Uowww. Curti.

É assim que as gravadoras ganham dinheiro. Qualquer vídeo que você faça – de fotos da sua super viagem de férias, que seja -, com trilha sonora da Anitta, por exemplo, a Warner Music ganha din din. Show, né? Literalmente!

Mas essa é uma saída. Se você não quer que seu conteúdo seja replicado, este mesmo programa te dá a opção de bloquear os videos-cópia. Mas né, a não ser que você seja um produtor de filme e o seu teaser tenha vazado na web ou você tenha feito um vídeo íntimo que está tomando uma proporção indesejada, a monetização é o melhor caminho! O usuário que subiu seu vídeo ganha (ele está publicando um conteúdo que ele curte), quem assiste ganha e o dono também!

Mais uma coisa legal que ele contou: sabe os anúncios que aparecem antes dos vídeos (sim, aqueles que dão dinheiro pras gravadoras)? Então, se você aperta no “skip”, o anunciante não paga pelo anúncio. Por isso, muitas marcas têm investido pesado em fazer campanhas em até 5 segundos ou então chamadas criativas para você continuar assistindo a propaganda até o fim. Haja criatividade!

E não para por aí. Essa vai para os usuários. Se você odeia publicidade nos vídeos e sempre aperta no “skip”, o algorítimo entende isso e começa a expor menos propagandas a você! Quanta inteligência…

E pra finalizar, uma frase de impacto: o Youtube funciona como uma ferramenta de conexão com os fãs. Vai deixar essa oportunidade passar?!

1…2…3…GRAVANDO!

A Campus B – o que é, onde é e pra que serve!

Apesar de não ser uma super nerd – não jogo nada além de candy crush, não sei absolutamente NADA  sobre Star Trek e não li “O Mochileiro das Galáxias” -, essa é minha 4ª Campus. Sempre vim pra cá e usei o Twitter e o Uno como meus aliados. Nesses anos, fiz amizade com gente de tudo quanto é lugar do Brasil. Inclusive do Acre; é ele existe!

Em 2012, um amigo vivia me chamando pra ir conhecer a Campus B. Ele era fumante. Na minha cabeça, ia lá fumar e tomar uma. Como eu não fumo e não curto o cheiro de cigarro, não fiz companhia pro queridão.

Mas, eis que esse ano, eu decidi conhecer o Lado B. Guardamos as mochilas, pegamos uns trocados e fomos. Chegando lá, vários jovens e uns 3 carrinhos ambulantes. “Nossa, tem até whiky”. Batizado ou não, fiquei chocada. Enquanto nerds jogam por horas, ficam mexendo com códigos, uns geeks bebuns matam sua sede com álcool – aqui tá um calor insuportável!

Eles não pedem documento. E logo avisto um “de menor” bebendo tequila. Powww, tequila a gente bebe na balada, pra curtir, ficar mais sociável. Não? Tá.

Estávamos em 3. De repente aparece um cara oferecendo pizza. Não, ele não estava vendendo a pizza. Oferecendo mesmo. Veio sozinho. Não me lembro de onde. Juntou-se a nós. Passaram alguns minutos e nosso amigo de Uno apareceu por lá também. Mais um. Os meninos que vieram com a gente também saíram. Mais 2. Quando vi, nossa roda estava enorme.

Não lembro o nome de ninguém. Nem sua cidade de origem. Até o vizinho de barraca apareceu! Ah, também não me lembro de quantas cervejas tomamos – até ganhamos uma do entregador de pizza! Pensa.

Só sei que nesse tal Lado B, que pode ser o outro lado da Campus ou B de bebida mesmo, é muito divertido. Se não fosse ontem, sairíamos daqui sem amigos.

“Por que vocês estão sempre rodeadas?” Bom, famosas nós não somos, ainda, mas que o BOPE tentou tirar lasquinha, tentou. Fomos presas. E hoje tenho menos cabelo que ontem. QUE FASE! Sò porque estávamos contrabandeando simpatia lá pra fora. “Elas precisam é de bafômetro”. Quem tá dirigindo? Difícil não é chegar na barraca, é ir ao banheiro várias vezes na madrugada…em linha reta!

Pausa pra foto:

Taí. Hoje é aniversário de um dos meninos. 00h30 tem Campus B de novo. 00h ele precisa ligar pra namorada. Sim, nerds namoram, pasme. E xavecam também. “Eu não gosto do TInder. Comigo é na lata. E aí?” Oie?! Só rindo pra não chorar. Ou bebendo pra socializar. Hoje tem mais. B de bebida, B de… ops… TInderrrrr!

Como a Social Media modificou a publicidade

Sergio Gordilho, diretor de criação da agência Africa, apresentou a palestra “Como a Social Media modificou a Publicidade” no Palco Gutenberg hoje. Não assisti muitas palestras, mas posso dizer que até agora foi, de longe, a melhor! Talvez pelo fato de eu trabalhar na área e ser apaixonada por cases. Ele apresentou alguns…

Bom, vamos ao conteúdo. Segundo Gordilho, saímos da Era dos 3 macacos e entramos na Era dos “Todos macacos no mesmo galho”. Não há diferenciação. Atualmente, as marcas ocupam a mesma posição dos consumidores. Eles precisam assumir sua identidade e conversar de igual pra igual. Acabou o discurso unidirecional.

As marcas que não se alinharem à realidade, conversando e entendendo as necessidades dos seus clientes, morrerão.  Simples assim. Antes, vendia-se esponja de aço e pronto. Agora, o consumidor manda uma mensagem pra marca: “não compro seu produto porque ele elimina resíduos na panela e contamina  os alimentos do meu filho”. Como proceder? Se você não responde, não entende a necessidade do público, perde a freguesia, perde o mercado, fecha as portas!

O que vale é estar conectado. Você tem que conversar com o consumidor. Se ele for co-autor de algum produto seu é ainda melhor. Ele divulga, ele defende, ele vira admirador da sua marca!

As empresas precisam entender que o que vale hoje é a história das pessoas e não mais as suas. O consumidor quer se encontrar nas campanhas, quer se emocionar, chorar, se identificar. A palavra da vez é empatia. Se ele, por algum motivo, encontrar um pedacinho de si em um vídeo, em um anúncio, algo que esteja ligado a sua vida, a sua rotina e contexto, ele vai compartilhar. O ser humano tornou-se totalmente compartilhável. E ninguém quer passar conteúdo chato pra frente. Quer dividir conteúdos relevantes, legais, próximos de si e de seus pares.

Por que você compartilharia, por exemplo um conteúdo de uma funerária? Macabro, né? Mas nos EUA, milhares de pessoas o fizeram. Sabe por quê? Foi lançada a campanha (em português nada literal): “Por que esperar? Amanhã pode ser tarde. Diga algo bonito hoje”. UAU! Não me recordo o nome da funerária, mas amei a ação. Por que não dizer, hoje, o quanto as pessoas são especiais a você? Histórias, emoção, pessoas, SUCESSO!

Agora, um exemplo de conexão. Hipoglos, sim pomada para bumbum de neném. Como se fazer atual? Como inovar um produto já consolidado, que se vende sozinho, talvez por sua t-r-a-d-i-ç-ã-o? Criando um dispositivo bluetooh para fraldas dos bebês! Filhinho fez xixi, mamãe recebe uma mensagem no celular: “evite uma enxurrada, hora de trocar a fralda” (novamente, no português nada literal. Ando com amnésia).
Por fim, essa é a época da transparência. Não adianta esconder suas falhas. O consumidor vai denunciá-las e incentivar o maldito boicote. Já imaginou a crise?!

Por fim II:  antes, você, enquanto agência,  tinha uma ideia e enfiava mídia para fazer a campanha andar. E hoje? Você tem a ideia, põe mídia, cria desejo, destaca a utilidade e faz tudo isso numa veloooocidade.

Faz sentido? Amei!

#Tinder na #Cpbr7

Sou do tipo que viajo e ligo o Tinder. Não nego e não escondo. Estes dias estive em Indaiatuba. Na hora, 3G, tinder, matchs. Vai que cola…

Ontem, escrevi no Twitter. Queria achar os solteiros da Campus, que estavam no Tinder. Nem tinha chegado no evento ainda e “causei”. Alguns se candidataram, outros me desanimaram. Não liguei. Minha missão era: chegar na Campus, diminuir o raio e avaliar os mocinhos.

No meio de uma palestra suuuuper legal, acessei o aplicativo. Um, dois, três. Todos a 1km de distância. Estariam no aeroporto? Moram nas proximidades? Não, 1 km é dentro da feira. Missão cumpridaaaaaaaaaaaaaa! Deu match. Mas ainda não vi ninguém pessoalmente. Um dos chats foi um convite: vamos tomar uma lá fora? Hmmmm. Volto depois.

Tinder, já falei que eu te amo? <3

 

A primeira noite #cpbr5

A primeira noite a gente nunca esquece. Eram 23h e pouco, que tal um banho?! Bizarro. Esse ano ainda colocaram um suporte pra sabonete, shampoo e afins, mas não ajudou muito… Você tem que jogar sua roupa e a toalha em cima do box. Meu shorts foi parar do outro lado do banheiro; é muita força delicadeza.

Aí, você liga o chuveiro e… a água não esquenta. Portanto, a dica é: vá tomar banho enquanto você estiver com calor! Ah, não tem muita iluminação também; evite banhos “corujão”.

“Lava uma mão, lava a outra…” E aí, dormir? Não, vamos jogar UNO. De repente, uma banda – Megadrive -começa a tocar a música tema do Super Mário. Delírio da galera. Entre uma carta e outra, pessoas correndo “vocês vão ganhar o que?” Eles não sabiam. WTF?! Existem mais “Marias brindes” aqui do que eu imaginava (risos).

As horas passam e o sono domina. Eram 2h da matina. Quando você acha que vai apagar, os vizinhos começam o maior papo. Risadas rolam soltas… Owwwwww orme orme, se eu não durmo, ninguém dorme?!

E não para por aí. Toc toc toc. – Quem bate? É o frio! Pessoal, santa mantinha da Betty Boop hauhaua Se vocês pretendem vir pra cá pra dormir, não esqueçam o edredon. À noite o frio bate forte. Passei frio.

Por enquanto é isso. Logo mais começam as palestras. E aí, marcas podem ser pessoas?! Vou garantir meu lugar no palco de Mídias Sociais, volto já! =*

 

O que levar p/ a Campus Party 2012?

Está chegando o grande dia (uma semana o/). A ansiedade é grande e a vontade de deixar a mala pronta também. Mas vem cá, o que levar? Por mais que você já tenha marcado presença em outras edições, sempre esquece algo. Portanto, que tal arrumarmos as malas juntos? Vamos lá, passo a passo. Pegue sua mala… coloque do lado da cama ou em cima de uma cadeira. Pegadinha, né? Só pode!

Chega de lero lero, mãos à obra.

O que não pode faltar na sua mala?

-camisetas descoladas (uma para cada dia);

-shorts e uma calça + agasalho (vai que bate aquele friozinho?);

-chinelo (ele pode ser útil na hora do banho – ninguém quer pegar friera, né?!), tênis e sandálias (no caso das meninas). Há quem curta aqueles Crocs, eu acho horroroso, mas pode levar;

-meias (uns usam pra dormir, outros, pra identificar sua barraca e ainda outros, pra usar com tênis (faz bem!);

- roupas íntimas (né?!);

-escova de dente, pasta, toalha de banho + rosto, sabonete + bucha, shampoo + condicionador (Meninas, vale levar suporte de chuveiro, pra pendurar suas coisas. Ano passado, levei uma sacola de plástico – aquelas de roupas de cama/cobertores. Ah, tem uma dessas na foto acima, dá um ‘look’. Bom, foi muito útil. Levava ela pro banho e não molhava minhas coisas.), DESODORANTE e algum perfuminho supimpa ou creme corporal (homem/mulher cheirosa são outros 500!);

- escova de cabelo ou pente e acessórios (boné, chapéu, elástico de cabelo). Se você não está acostumada(o) a deixar o cabelo secar sozinho, leve seu secador de cabelo. No banheiro tem tomada. Chapinha e afins também podem entrar na lista dos vaidosos;

-maquiagem (ninguém fica se embonecando, mas né, um lápis e um corretivo não fazem mal a ninguém), gel de cabelo (há quem curta um topetinho básico);

-roupa de cama, travesseiro, colchão inflável (tem gente que leva colchão normal, mas né, muito volume no carro. Evite) e edredon (apesar de muitos terem passado calor no ano passado, vai que esfria. Eu não dispenso o meu);

-tapa-olho e protetor auricular (se você não consegue dormir no claro e tem certo problema em “apagar” quando o ambiente está um tanto quanto barulhento, não dispense esses acessórios. A área de acampamento é bem iluminada, por questões óbvias de localização das barracas, e o barulho é constante – de gente indo e vindo, cantando, gritando e assim vai);

-muitos CADEADOS (você precisa manter seus pertences seguros. Na barraca você usará um, na mochila, outro. Vale por um na mala também, mas lembre-se, talvez você tenha que abrir sua mala na hora do cadastramento. Esteja com as chaves a postos!);

-um computador, notebook, tablet (que deve ser registrado no cadastramento) + fone de ouvido (ninguém é obrigado a escutar “Ai se eu te pego” só porque VOCÊ gosta) e máquina fotográfica (vão ter várias coisas legais para você registrar!);

-trava de segurança para seu equipamento (opcional, mas vai que você precisa sair da bancada? Fazer xixi, comprar algo pra comer… Se não tiver um amigo junto, pra olhar suas coisas, melhor comprar uma trava!);

-HD externo (você vai baixar filmes, programas e jogos em uma velocidade record);

-videogame  ou jogos de cartas (pra jogar de madrugada o/);

-dinheiro e/ou cartão de crédito (se você não comprou o pacote alimentação da Campus, vai ter que reservar uma graninha pra café da manhã, almoço, lanchinho da tarde e jantar. Várias empresas entregam refeição lá. Esfihas e pizzas são as mais pedidas);

- documentos (RG, carteira de habilitação e carteirinha do Plano de Saúde – ninguém sabe o dia de amanhã!);

-carregadores (da máquina fotográfica, do celular, do computador) e adaptadores de tomadas;

-remédios (de uso contínuo ou para possíveis dores de cabeça, cólicas e afins);

-óculos de grau + sol (não adianta estar no maior evento de tecnologia se você não consegue enxergar um palmo na sua frente!);

-bom humor (você passará uma semana ao lado de estranhos. Grande oportunidade para fazer amigos e paquerar, por que não?!)!!!

 

Dúvidas frequentes:

Será que vai caber tudo na barraca?

A barraca é grande, mas nem tanto. Cabe você (óbvio), sua mala e o colchão, de solteiro. Se você optar por um de casal, fique ciente que suas coisas terão que ficar acomodadas em cima do colchão!

Como secar minha toalha de banho?

Não há varal lá (#todosCHORA), portanto, as pessoas costumam colocar suas toalhas em cima da barraca para secar. Há quem monte um pequeno varal dentro da barraca, mas né, pra quê?

Como encontrar minha barraca?

São muitas barracas em um mesmo espaço, TODAS IGUAIS. Como vou saber onde está a minha? Você pode memorizar um poste, algum detalhe no teto ou na parede pra não se perder. Agora, se você acha que isso pode não funcionar, que tal customizar sua barraca? Vale colocar bandeirinha, pano colorido em cima, adesivos e assim vai. Use a criatividade!

Se eu quiser fazer caminhada, rola?

Se você faz parte da minoria atleta dos campuseiros (nerd tem fama de sedentário), vale levar sua roupa fitness e acordar cedo. Ano passado, as pessoas caminhavam em volta do pavilhão. Esse ano, com certeza farão o mesmo.

Se eu quiser sair da Campus e passear por SP, pode?

Deve! Esse ano, o evento está próximo de estações de metrô. Que tal conhecer um shopping? Pegar um cineminha? Ir para um bar com a galera? Eu já garanti minha programação. Vai ser divertido!

Festinha com bebidas alcoolicas, rola?

Não!!! Não é permitida a entrada de bebidas alcoolicas no recinto. E se você resolver sair pra beber e voltar causando, pode levar algum tipo de advertência. Juízo, meus caros.

Dá pra paquerar lá?

Ô se dá! Paquere muito. A chance de rolar um namorico é grande. Pessoas com mesmos interesses, no mesmo lugar, por 7 dias… Boa sorte!

O que eu vou ganhar lá (brindes)?

Item essencial: uma mochila! Ano passado, ganhamos fones de ouvido também. Depois, rolam mini promoções. Tem pen drive, toalhas, toy arts, mouse pads, canecas, camisetas e muitos outros brindes. Fiquem de olho nas promoções relâmpagos no Twitter!!! =) Dica: se você não tem TweetDeck, instale no seu computador. Será muito útil.

Posso levar a barraca embora?

Claro que pode. Não é divertido?!

 

Pra quem vai, nos encontramos em breve. Se quiser, me adicionem no Twitter @nanecosta . Agora, se você não vai, fique de olho no blog. Prometo atualizá-lo todos os dias, com assuntos e fotos bacanas! =) Tchauí!