A culpa é minha?

Sabe aquele lance de “a culpa é minha eu ponho em quem eu quiser?”

Então, as pessoas têm levado muito a sério. Calma aí meu povo, isso é uma brincadeirinha. Será que vocês não entenderam?!

CULPA. Essa é a palavra da semana. Talvez do mês.

Uma dúvida: a culpa que os outros colocam em mim é minha mesmo?

Se algo é esquecido… a culpa é minha.

Se um nome é trocado… a culpa é… minha.

Se uma pessoa não gosta de mim… culpa total minha.

Se algo está fora do lugar… a culpa é minha, claro.

Se eu estou solteira… culpa minha. É, essa acho que é mesmo (risos).

Sério. Tenho vontade de fugir. Sair correndo. Sumir (eu gosto de sinônimos).

De fazer a louca… gritar. Por um fim nisso. Mas não. Guardo pra mim. Quer dizer…

As pessoas não têm a mínima noção de quão prejudiciais são suas palavras, seus julgamentos…

Eu estou cansada.

Cansada de ser culpada de tudo… de me sentir a pior pessoa do mundo. De achar que eu estou errada por algo que eu não fiz.

Eu não tenho que me lembrar das obrigações dos outros.

Eu não tenho obrigação de saber se as informações que chegam até mim são verdadeiras.

Eu não tenho que agradar a todos. Principalmente pessoas que mal me conhecem e já me rotulam por conta do que escutam. Cuidado com as fontes!

Eu não tenho que por tudo no seu devido lugar.

E, definitivamente, eu não tenho que ter alguém só porque os outros cobram.

Faz sentido?

Já dizia John Green que “A culpa é das estrelas”. Se ele conhecesse as pessoas que convivem comigo, diria que a culpa é de quem? MINHA, claro.

Eu não mereço isso.  Eu juro.

Alguém tem resposta?

Só queria entender o porquê de a gente procurar tanto a pessoa ideal, se ela não existe (vi no Word). Queria saber o porquê de a gente nunca gostar de quem corre atrás da gente (eu encontro ‘n’ defeitos ou não os encontro e sumo do mesmo jeito), o porquê de a gente ficar carente e se lembrar de alguém que marcou nosso passado… E quase sempre, esse alguém está, hoje, feliz da vida, namorando há uns 2 ou 3 anos e jurando amor eterno. Mas sabe o que mais dói? Você ter dito pra pessoa que não se via com ela, que vocês jamais ficariam juntos, que não confiava nela e depois ficar relembrando momentos, remoendo saudades e mirabolando meios de se reaproximar… Já era… Foi-se um tempo que era bom e VOCÊ, sim, você estragou! Isso acontece comigo quase sempre!

Queria entender o porquê de a gente sempre achar que encontrou a pessoa certa e ela já estar comprometida com alguém. Esse é meu grande karma. Quando falo: é esse. Batata, não dá em nada. Por quê, meu Deus? Dizem que ficar procurando não ajuda em nada. Ok. Vou fazer uma confissão. Adoraria conhecer a metade da minha laranja, do meu limão, da minha melancia num supermercado, tipo filme. Detalhe, eu não vou ao supermercado!!! A psicologia deve ter uma explicação pra isso!

Bom, dizem que escrever nos deixa mais leve. Vou, então, tirar 50 mil kg da minhas costas. =(

Viu, você aí do meu passado. Desculpa por não ter tentado. Desculpa por ter deixado meu orgulho falar mais alto. Viu, só queria que você soubesse que quando estou sozinha pensando na vida  – o que eu fiz dela e o que eu quero pra ela-, eu me lembro de você e o quanto eu gostava da sua companhia, dos bons momentos que passamos juntos… Se algum dia você sentir saudade (eu sinto sempre), saiba que eu estarei aqui, disposta a te reencontrar e dizer o quão marcante você foi pra mim… Puraquímica!

Será que um dia a gente vai se encontrar?

Sim, estou carente… E amanhã tudo vai passar e este texto, será deletado. Tudo pode deixar de existir, de ser. Tudo; basta você querer!

 

[ Texto escrito em 1 de maio de 2011. Atualização: Nossa, estou em choque. Eu escrevi dois textos pra mesma pessoa. Tipo, aquela que só respondia em uma linha e agora reduziu a linha para nada. UOUUUU! Será que ele marcou tanto assim? Acho que minha carência em 2011 foi doentia. Sem mais. Ah, ele ainda não deu as caras. E eu parei de pensar nele TAMBÉM! Ufa 2!]