1991

Hoje podia ser um típico domingo, mas não foi. Com o intuito de distrair um tio, que veio almoçar aqui em casa, resolvi colocar um filme: “Aniversário do Serginho -1991. Achei sugestivo. Achei interessante. Coloquei.

Parecia uma criança diante de uma mesa cheia de doces. Meus olhos brilhavam. E sabem por quê? No mesmo vídeo, revi meu pai, meu avô, minha avó, minha bisavó, uma tia e uma prima, que faleceram. É, em 23 anos muita coisa mudou.

Como é gostoso ver todo mundo pequeno. Os adultos todos de cabelos bem escuros e super esbeltos… Como é gostoso ver seu pai ali tirando fotos e pensar: eu tenho pra quem puxar. Como é gostoso ver seu avô declamando versos que ele mesmo compôs. Ver seus tios cantando. Ver o seu irmão, o aniversariante, no auge dos seus 2 anos de idade, entrando na dança. Ops, na cantoria.

Como é gostoso ver aquelas pessoas que você tanto ama ali, vivinhas. Ver você puxando seu pai pra ir buscar algo… Falando nele, nada mais divertido do que ver a sacanagem que ele fazia com todo mundo. Sabem aqueles bexigões? Ele enchia de farinha e doces. Quando estourava, deixava todo mundo branquelo. Eu tenho fotos assim. Eu toda de branco, cabelinho liso, ralo, toda infestada de farinha. DEMAIS.

É, em 1991 eu era feliz e sabia. Criança sempre é feliz. Eu apanhava dos meus primos maiores, levava mordida, beliscão, mas eu era feliz. Eu tinha meus avós, eu tinha meu pai, eu tinha minha prima. Eu tinha… Por que a gente insiste nesse verbinho possessivo?

Só por hoje eu senti saudades. Eu não queria beijo – hoje é dia de beijo! -, eu queria abraços. Abraços fortes, igual ao que meu tio me deu hoje. “Que delícia de abraço, tio”, falei pra ele. Ele me respondeu com um sorriso no rosto: “É bom abraçar, né?” E como é. Só por hoje eu queria O SEU abraço, pai! Te amo.

img198

Então é Natal…

Não tem como não lembrar da música que a Globo tanto toca todos os anos. Mas, não vim falar sobre ela. Vim falar desta data tão especial que me faz chorar e agradecer.

Todo mundo acha que eu tenho a família perfeita, que vive em festas, tira milhões de fotos e está sempre unida. Muito se enganam. Essa é a família que eu moldo na internet. Ninguém fala dos momentos ruins, só dos bons.

Como toda família, a minha também tem problemas. São tios que não se falam, são parentes que se afastam… Do outro lado, pessoas que buscam a paz, a união.

Neste ano, chorei em muitos momentos da vida. Chorei de felicidade, graças a Deus. Chorei por ver minha família mais próxima. Chorei por ver minha casa cheia. Por ver meus tios se abraçando, conversando entre si. Vendo meus primos fazendo eventos só para unir o que Deus nos deu de melhor.

Chorei por ver pedidos de perdão, surpresas maravilhosas, AMOR. Eu vi muito amor neste ano e eu preciso agradecer! Falo e repito: eu sou abençoada.

Foram meses de angústias e alegrias, de crescimento e aprendizados. Foram meses de conversa, confissões, de abraços confortantes. Foram olhares de paixão, foram apertos de mão, foram momentos que nós guardamos na memória.

Venho, neste mês, agradecer a Deus pelos meus amigos, pela minha família, pelos novos membros que estão por vir (estou ansiosa), pelos vínculos, pela aproximação, pelos obstáculos e, principalmente, pela saúde de todos.

Agradeço também as passagens de entes e amigos queridos para o outro plano. Quando tem que ser…

Agradeço os domingos de oração em casa, agradeço as aulas do MBA – e as notas boas -, agradeço o meu emprego, os meus freelas, agradeço os carinhas errados na hora errada, agradeço as paixões não correspondidas, agradeço os elogios, as críticas e agradeço até os porres, que vieram para aliviar alguma mágoa.

Agradeço e agradeço, sem me cansar. Agradeço por pertencer a duas famílias de muito amor. Famílias que me amam, que estão sempre ao meu lado, orando e torcendo por mim.

Agradeço aos amigos, nem sempre presentes, mas que sempre emitem boas energias quando pensam em meu nome.

Agradeço aqueles que riem comigo e de mim, aqueles que me ensinam e aprendem comigo e aqueles que me desejam o mal. Eles também merecem o meu agradecimento, afinal, eles me ajudam a subir os degraus da elevação espiritual.

Agradeço a Deus por ter a chance de cumprir a minha missão aqui na terra fazendo o que eu gosto, na companhia de pessoas mais do que especiais.

Agradeço aos meus guias e mentores, por toda a proteção diária.

Agradeço, agradeço e peço. Peço mais amor, mais carinho, dedicação, PACIÊNCIA e caridade, meus amigos. Peço, imploro e suplico. Caridade. Essa é a palavra de ordem.

Sorriam mais, ajudem mais, se doem mais. Não falo em dinheiro. Falo em dedicação, em escuta, em palavras, em companhia! Doem-se mais.

Feliz Natal e um Ano Novo cheio de conquistas, vocês merecem!

Ah, muito obrigada por fazerem parte da minha história. Obrigado Senhor!

“Onde dois ou mais estiverem reunidos em meu nome, ali eu estarei.”

Hoje Deus me deu um presente inesquecível. Saí correndo do trabalho e fui pro shopping. Precisava comprar um presente de amigo secreto. O relógio apitando e eu correndo. Tinha menos de 1h pra achar o presente e voltar. Segunda é dia de Leitura do Evangelho aqui em casa.

Não encontrei o presente. Saí correndo do shopping. Os motoristas fizeram um pacto: me deixar nervosa. Um não andava, o outro queria cortar… Estava com os nervos à flor da pele. Em pensamento pedia calma. Pedia que Deus acalmasse minha cabeça e meu coração.

Cheguei em casa e todos estavam me esperando. Acalmei. Era hora de entrar no clima de oração. Éramos 8 pessoas na mesa e isso me deixou muito feliz. De repente, toca a campainha. Meu tio, sua filha e sua neta. Pensa, 11 pessoas reunidas no nome de Deus Pai. Chorei. Chorei de emoção ao ver minha família reunida em um momento de benção, de alegria, de agradecimento. Chorei pela energia que se formou naquela mesa. Chorei porque vi meu vô, feliz da vida, por  presenciar aquela cena.

Não teria data melhor pra essa reunião acontecer. “Caridade, meus filhos…” Natal. Dezembro. Véspera do aniversário de uma tia.

Um momento único de entidades de luz, de guias protetores, de fé. Queria que vocês pudessem sentir a energia que nós estávamos emitindo. Forte, verdadeira, de harmonia e paz.

Obrigada Senhor. Muito obrigada! Agradeço também aos meus tios e primas pela presença. Que essa reunião seja a primeira de muitas!

Se você quiser fazer parte desta corrente, reúna sua família em casa, toda segunda-feira às 20h. Neste momento, nossos guias estão em oração junto a nós, recebendo fluídos e nos enviando luz! Reze um Pai Nosso, uma Ave Maria, leia um trecho do Evangelho. Agradeça a Deus pela sua saúde, pelo alimento de cada dia, pelas dificuldades – elas são lições de vida!!! Converse com Deus! Você não sabe como isso faz bem…

Fique com a paz do Senhor! Amém.

O que você quer?

Vejo pessoas sonhando com o futuro. Trabalho, empresas, apartamentos, carros… uma vida pela frente. E no meio de tanta informação, eu me pergunto: e você, o que quer? Quantas vezes me peguei pensando na resposta… Tudo em vão.

Eu não quero nada. Eu não sonho em ir para fora do país, eu não sonho em entrar na melhor empresa do mercado, em ter o carro mais caro da concessionária… Eu sonho com festas, reuniões de família, viagens, com uma vida simples e, talvez, não muito longa. Eu não tenho medo do que está por vir, mesmo não tendo noção alguma do rumo que eu quero dar para o que está além dos meus olhos.

Sim, eu sonho com casamento, filhos, um lar. Mas só isso. Não fico pensando no assunto, não corro atrás das realizações. Eu apenas vivo. Se acontecer, aconteceu, senão, outras vidas virão!

Sou desprendida.  Não tenho medo da morte, mesmo que isso cause estranhamento. Eu estou pronta para partir. Estou pronta para viver em um mundo onde a “moeda” de troca é a caridade. Como isso me faz bem…

E não, não estou depressiva. Minha vida está toda azul, como dizem. Tenho minha família cada vez mais próxima, tenho de onde tirar meu sustento, tenho viajado como nunca… tenho mais do que mereço, acredito. E largaria tudo de uma hora para a outra.

Subiria aos céus, hoje, ao encontro dos meus. Daria um abraço de urso no meu Pai, apertaria com força as mãos de minha prima, passando a energia necessária para fortalecê-la, e encheria de beijos os meus avós. Diria o quanto foram importantes pra mim e para toda a nossa família. Aproveitaria cada momento “perdido” no tempo.

Essa sou eu. Sim, sentimental. Sim, amorosa, mesmo que muitos discordem. Sim, espírita e pronta, para um vida sem limites.

Que assim seja!

Eu, meu carro e o nosso adesivo

Sempre questionei o uso daqueles adesivos de família em carros. Quer mostrar pros ladrões/sequestradores que tem criança no carro? Isca fácil! Quer mostrar que você, mulher, vive sozinha com seus cachorros? Cadê a segurança? Não dá né! Eu sou totalmente contra. Principalmente porque uma vez tava paquerando um cara no trânsito e o semáforo fechou. Quando vi, os malditos adesivos na traseira do carro.  Adivinha? Ele era casado… e tinha filhos. Não “gosti”=S

Agora, aquelas fotos que rolam no Facebook de uma Ferrari com adesivos de um homem e trocentas mulheres são engraçadinhos. A gente assimila a mensagem, é diferente. Eu acho o máximo. O que tem de maria-gasolina por aí. Os homens estão tudo DOCES (só os fortes entenderão hauahaua).

Mas não foi bem desses adesivos que eu vim falar. Estava na rua quando bati o olho no carro da frente. Adesivo da vez: OAB. Hmmmm, então você é advogado? Fale mais sobre isso… Pra quê? Afirmação? ÓÓÓ, ele é da turma do terno! Me poupe, vai! Sem noção. Vou colocar um… quer dizer, nem diploma eu tenho mais… Deve ser invejinha. AHAM!

Ah, e os adesivos de frases?!  ”Tá com pressa? Devia ter saído mais cedo”. Eu O D E I O esse. Eu vivo com pressa e Murphy me acompanha no banco de passageiro. É batata. Só gente passeando na minha frente. Me irrita tanto, tantooo. Tem outro que é famoso também:  ”Jesus te ama, mas eu não”. Que dó. Maior mal amado. Por que não me ama? Não sabe o que está perdendo… (risos)

Deixa eu pensar em outros. Uma amiga da minha prima tinha um adesivo do batman no vidro traseiro. Estilo, vai! Era um corsinha preto… Marcante! Era chegar nos shows e escutar o segurança falando: fecha no batman. Sim, ela também era da turma do sertão e acompanhava meu prima na saga camarins!!!

Bom, tudo isso pra fazer uma confissão. Apesar de falar e falar, sempre quis colocar um adesivo no meu carro! E todos olham com cara de “WTF?”. Só não o fiz porque acho que marca muito. Quantos Ka’s existem em Campinas? Milhares. Mas e com um adesivo de chapéu, cavalo e afins? Vai que eu vou em um lugar que ninguém pode saber?! hauahauahaa É muita cuca no lance.

 

Para minha família!

Em 2012, quero falar menos e fazer mais. Quero dar menos indiretas, criticar menos as pessoas, começar a olhar com mais carinho quem está próximo a mim. Que adianta dar esmola, doar roupas para desconhecidos se na sua casa existe alguém precisando de outro tipo de caridade? Hein?

Quero dar amor, carinho, quero ajudar. Quero ter a consciência de que as pessoas envelhecem e precisam dos nossos préstimos. Eles precisam de atenção, de carinho, de ajuda. Quero ter a certeza de que fiz o bem enquanto os meus queridos estavam ao meu lado. Chorar no caixão, mandar rezar missa, de nada vale tudo isso se não agimos enquanto a vida nos dava chances de praticar o bem.

Ficar contando vantagem, agradar alguém para conseguir regalias?! Pra quê, meus caros?

Falei tudo em primeira pessoa, mas esse discurso, definitivamente, não deveria ser meu. Esses são os meus votos para você que está lendo. E, em especial, para aqueles que fazem parte da minha família! Aqueles que renegam os pais principalmente! Aqueles que puxam saco dos que têm uma condição financeira melhor ou algo para lhe oferecer no futuro. Pobres almas!!!

Aqueles que vivem postando indiretas na internet, que vivem fazendo belos discursos e esquecendo dos que mais precisam. Não gostou? A verdade dói mesmo. Mas não dói mais do que o desprezo. Já imaginou quantas lágrimas são derramadas com suas atitudes? Quanto desgosto um pai, uma mãe sente por não ter atenção e carinho de seus filhos e netos?

Estou cansada de falsos elogios, de falsas palavras e sorrisos. Se vocês acham que a solução dos seus problemas tem a ver com a morte dos mais velhos, o meu verdadeiro sentimento de dó. Como diz o ditado, um pai e uma mãe olham dezenas de filhos. Mas um só filho não é capaz de olhar os seus pais. Pobres familiares. Nem mesmo que vocês rezassem o dia inteiro, sua culpa seria eliminada.

Rezai sim, mas rezai com fé  e compaixão. Por que é disso que vocês precisam! Eu rezo por vocês, todos os dias. E peço perdão a Deus, pelo erro terrível que estão cometendo.

Acabo esse desabafo deixando uma reflexão: sempre é tempo de mudar. Mudem. Falem menos, façam mais. Deem valor a quem os acolheu durante a vida toda. Prezem por sua saúde e não pela condição financeira. Errem, mas tenham humildade para assumir e melhorar. E peçam perdão, porque tudo que aqui plantamos, aqui mesmo colhemos. Ainda há tempo de diminuir vossa penitência. Façam por merecer.