Papai Noel é muito danado

Eu queria falar sobre Papai Noel. Sim, o bom velhinho, barbudo, que não se preocupa com o look de Natal. Todo ano ele usa a mesma roupa. E arrasa, diga-se de passagem.

Ele adora ler cartas. E quantas ele recebe, hein…

Na noite de Natal, passa “correndo” por diversas casas, entregando presentes às crianças que se comportaram bem durante o ano.

Não é assim?

Não me lembro até quantos anos deixei a magia do Natal invadir meus pensamentos. A única coisa que eu sei é que eu amo muito tudo isso. Obrigado, Coca. Por ter construído o Papai Noel e, também, por este slogan que combina com tudo.

Porém, como sempre faço, rodei, rodei e não cheguei no ponto que queria.

Desde ontem, estou refletindo sobre o assunto. Como as coisas mudaram…

Se por um lado eu fico em choque ao ver minha priminha de 9 anos acreditando piamente na chegada do Papai Noel, fico muito feliz que este espírito esteja cada dia mais próximo da sua realidade.

2016 foi um ano difícil, nomeado o “ano da crise”. Foi difícil mesmo. Foi um ano para repensar. E quer data melhor pra isso do que o Natal?

Vi muitas pessoas falando que neste ano não ia ter presente. Malemá o velho e divertido amigo secreto. E olha, foi bem isso mesmo. Cada vez menos vejo troca de presentes. E isso é MARAVILHOSO.

Sabe aquela crença de que o melhor presente a ser dado é no Natal? Então, carreguei comigo por muitos anos. E digo mais, não estava sozinha.

Mas a crise ajudou. Vi neste Natal muito menos presente e mais presença. Mais olhar nos olhos, mais abraços, carinhos. Vi palavras de afeto… Escutei até um “eu tenho orgulho de você”. <3

Estamos entendendo o significado da data, gente. Natal é família, é encontro, é amor, é confraternização. É um momento que a gente se reúne, reza, dá risada, passa junto. É aquele encontro que a gente desmarcou o ano inteiro, por não conseguir bater as agendas.

Estou muito feliz.

E mais feliz ainda pela simplicidade dos presentes pedidos.

Lá em casa, as crianças desistiram, de última hora, de pedir presentes ao Papai Noel. “Má, eu ia pedir uma pulseira, mas aí a vó deu a pulseira pra gente. Aí não tinha o que pedir!”

Gente, na minha época eu queria o presente mais caro de todos. Era patins, bicicleta, bonecas… E ela só queria uma pulseira!

Aí, veio a outra: “Eu tinha pedido um brinquedo, mas desisti. Achei que ele não ia trazer nada, mas ele trouxe um batom da cor que eu queria”.

Neste momento, eu segurei o choro. E a única coisa que eu consegui dizer foi: “Que Papai Noel danado, né? Acertou em cheio!”

Como todo ano, me candidatei à ajudante do bom velhinho. Fiz a listinha das crianças e fiquei pensando o que poderia dar a elas. Algo simples, mas que elas gostassem. São 4 pequenas e 1 pequeno. A Isa já tá grandona.

Comprei batom e perfume pras meninas. A cor foi “na sorte”.  Uma delas não desgrudou do batom por nada. Retocava e beijava as pessoas, pra deixar sua marquinha. Uma outra, chegou pra mim e disse que era a cor que ela queria! Gente, e vocês ainda não acreditam em Papai Noel?

Eu acredito. Acredito na magia, na pureza, na presença. Eu acredito numa noite de união, de paz e amor. Eu acredito que estamos no caminho certo!

Que a cada ano, o Natal possa mais ser vivido do que presenteado. E se for presenteado, que seja simples e personalizado. Nada melhor do que receber algo que você esteja precisando ou que tem a sua cara.

Esse foi meu pedido ao bom Velhinho. E o seu? O Natal de 2017 promete.

Então é Natal…

Não tem como não lembrar da música que a Globo tanto toca todos os anos. Mas, não vim falar sobre ela. Vim falar desta data tão especial que me faz chorar e agradecer.

Todo mundo acha que eu tenho a família perfeita, que vive em festas, tira milhões de fotos e está sempre unida. Muito se enganam. Essa é a família que eu moldo na internet. Ninguém fala dos momentos ruins, só dos bons.

Como toda família, a minha também tem problemas. São tios que não se falam, são parentes que se afastam… Do outro lado, pessoas que buscam a paz, a união.

Neste ano, chorei em muitos momentos da vida. Chorei de felicidade, graças a Deus. Chorei por ver minha família mais próxima. Chorei por ver minha casa cheia. Por ver meus tios se abraçando, conversando entre si. Vendo meus primos fazendo eventos só para unir o que Deus nos deu de melhor.

Chorei por ver pedidos de perdão, surpresas maravilhosas, AMOR. Eu vi muito amor neste ano e eu preciso agradecer! Falo e repito: eu sou abençoada.

Foram meses de angústias e alegrias, de crescimento e aprendizados. Foram meses de conversa, confissões, de abraços confortantes. Foram olhares de paixão, foram apertos de mão, foram momentos que nós guardamos na memória.

Venho, neste mês, agradecer a Deus pelos meus amigos, pela minha família, pelos novos membros que estão por vir (estou ansiosa), pelos vínculos, pela aproximação, pelos obstáculos e, principalmente, pela saúde de todos.

Agradeço também as passagens de entes e amigos queridos para o outro plano. Quando tem que ser…

Agradeço os domingos de oração em casa, agradeço as aulas do MBA – e as notas boas -, agradeço o meu emprego, os meus freelas, agradeço os carinhas errados na hora errada, agradeço as paixões não correspondidas, agradeço os elogios, as críticas e agradeço até os porres, que vieram para aliviar alguma mágoa.

Agradeço e agradeço, sem me cansar. Agradeço por pertencer a duas famílias de muito amor. Famílias que me amam, que estão sempre ao meu lado, orando e torcendo por mim.

Agradeço aos amigos, nem sempre presentes, mas que sempre emitem boas energias quando pensam em meu nome.

Agradeço aqueles que riem comigo e de mim, aqueles que me ensinam e aprendem comigo e aqueles que me desejam o mal. Eles também merecem o meu agradecimento, afinal, eles me ajudam a subir os degraus da elevação espiritual.

Agradeço a Deus por ter a chance de cumprir a minha missão aqui na terra fazendo o que eu gosto, na companhia de pessoas mais do que especiais.

Agradeço aos meus guias e mentores, por toda a proteção diária.

Agradeço, agradeço e peço. Peço mais amor, mais carinho, dedicação, PACIÊNCIA e caridade, meus amigos. Peço, imploro e suplico. Caridade. Essa é a palavra de ordem.

Sorriam mais, ajudem mais, se doem mais. Não falo em dinheiro. Falo em dedicação, em escuta, em palavras, em companhia! Doem-se mais.

Feliz Natal e um Ano Novo cheio de conquistas, vocês merecem!

Ah, muito obrigada por fazerem parte da minha história. Obrigado Senhor!

Sonhar Acordado

O que você quer ganhar no Natal? Cerca de mil crianças querem carinho, atenção e um presente simbólico. Quer dizer, simbólico pra gente, mas de extrema importância pra eles. Que tal economizar no presente dos pais, do irmão, do namorado(a) e arrancar o sorriso de uma criança? Tire a mão do bolso, é por uma boa causa! =)

Clique na imagem para ajudar!