Eu cheguei naquela fase!

Eu sempre li textos/matérias falando que os verdadeiros amores nascem de grandes amizades. Abri minha lista de amigos do Facebook e vi as possibilidades. Nulas. Os amigos verdadeiros estavam namorando. PS: namoradas super legais, que eu adoro de paixão. Os colegas, bem, os colegas são colegas, então não rola nada. E os amigos solteiros? São amigos, poxa!

Massssssssss só agora eu estou começando a entender esse lance de namorar amigo. Não precisa ser meu amigo. Pode ser amigo de um amigo, né?! Por que não?!

O fato é que eu cheguei naquela bendita fase de que o novo é meu desejo de consumo e o amigo, aquele conhecido das antigas, é a possibilidade da vez.

Sabe aquele paquerinha de quando você tinha 14 anos? Então… ele pode voltar a fazer parte da sua vida. Aquele olhar que ele nunca dirigiu a você, pode estar agora lindo e conquistador mirando seus passos. Bem por aí.

Nunca achei que fosse chegar a este ponto. Balada não me atrai mais. Encontro entre os amigos preenchem meus finais de semana. Vai que um amigo do amigo… Ai gente, eu vejo cada foto no insta. Dá vontade de falar “não vai apresentar, não?!” Mas eu não faço. Não é da minha índole dar uma dessa. Alguns diriam, bêbada certeza. Eu vos digo, não estou bebendo mais. Blé! Ok, se você viu foto minha de cerveja deve estar pensando: mentiroooosa. Eu vou beber, mas quando der na telha. Não vai ser todo dia, todo fim de semana. Vai ser um brinde, com um amigo aí! =p

Cheguei na fase. E acabo rindo de mim mesma. Como pode? Em 1900 e bolinha a gente podia ter tido um lance, um romance e nada. Aí hoje, quando estamos mais gordinhos, com menos cabelo do que antes (risos), a história vem à tona. Que mundinho. Que nostalgia. Que desejo repreendido, hein?! Conta mais!

E não, pretendentes, eu não encontrei ninguém, ainda. Ok, já. Mas o tum tum não bateu forte. Mas curti essa fase. E dos detalhes. Por que será que as pessoas lembram de detalhes e eu não?! “A gente se conheceu em 1999, eu lembro…” OI? Eu não lembro, mas contaí que eu adoro essas histórias. Vai que meu cérebro resolve mostrar o ZAP!

Se você fez parte do meu passado, foi a fim de mim na escola ou na faculdade, tipo assim, e estiver na mesma fase que eu… vamos tomar um café? Ok, abro uma exceção. Uma cerveja? Um vinho? Adoro conversar. Só isso. Saio pra conversar. Não? Simmmmmm. Que fase! Procura-se amigo com dom de namorado! Ah, e que seja insistente. Eu sou do tipo que adora conversar pela internet, mas evita ao máximo contato real. Sou sincera. Sempre!

O melhor beijo da sua vida

Ontem foi dia dos namorados, queria ter  feito um post, mas achei melhor não. Como a data não me diz respeito, seria recalque demais. Mas né, hoje já é dia 13, eu posso escrever, não posso?

Escrever que dia 12 é dia de lembrar daquele carinha que você conheceu nas festas de faculdade e que foi, sem sombra de dúvidas, o seu melhor beijo. Um beijo viciante, apaixonado, que te fazia parar no tempo. É, então, dia de lembrar dele, no dia 12, porque … ele está namorando! Parabéns, aí! Só que não.

Eu fico pensando. Será que se a gente se encontrasse, e ele estivesse solteiro, tudo seria igual? Acho que não. Aquele beijo foi mágico na época. Foi doce, foi inexplicável. O encaixe perfeito. Hoje, as coisas mudaram. Vai que a namorada gostava de beijos mais empolgantes e ele mudou? Vai que…

De tanto pensar, mosquito morreu. Como é mesmo o ditado? Falando em mosquito, me lembrei do pernilongo. Vocês sabiam que os pernilongos gostam mais de pessoas que bebem cerveja? #ficadica Ah, e que quando a fêmea pica alguém, ela para de voar, porque gasta muita energia. Então, ela “gruda” numa parede e bota de 100 a 200 ovos. Poxa, vida, hein uow! “Ô muié paridera”. Wreal.

Saí do foco, como sempre. Deve ter sido o bolo de Santo Antônio que eu comi no almoço. Qualé? Hoje é dia. E não, não encontrei a medalhinha. Seria eu uma escolhida de Deus? Sim, escolhida pra ficar sozinha…

Sem pensamentos pessimistas. Comi o bolo, fiz minhas orações e dei meu lance no leilão da máquina do tempo. Sabe como é, o beijo, aquele, ele, namorando, podia voltar no tempo e.. sentir aquele gostinho bom de novo!? Só mais uma vez…

Santo Antônio, atenda minhas preces e eu juro que não tento degolá-lo mais. Não faça essa cara, foi um acidente. Nada demais. Ano passado derrubei o Seu Antônio no chão e ele perdeu a cabeça. E quem não perde, numa data dessa?! #partiu hospital, sinto que a minha está prestes a cair. Ploft.

Um dia pra falar de sentimento

Sei que daqui a pouco menos de 2 horas já não mais é dia de Santo Antônio, mas antes tarde do que nunca. Hoje é um dia para falar de sentimento.

Sentei no sofá e minha mãe disse que estava começando um filme. O nome? “O amor acontece”. Achei que fosse mais uma comédia romântica, mais um romance mamão com açúcar. Não era. Mas empresto o nome e partes do longa para introduzir esse meu texto.

Sempre disse pra Deus e o mundo que não gostava de flores. MENTIRA. Toda mulher gosta de flores. O diferencial é o remetente. Quem enviou? O coração faz tum-tum mais forte, o sorriso sai espontaneamente, os olhos brilham. Isso é paixão,  é amor.

E se você não sabe do que estou falando, não desanime; cada um tem a sua hora. O fato é que nos filmes tudo é lindo. A moça linda namora um cafajeste. Ele a trai e ela fica desorientada. Em uma ocasião nada comum, ela conhece um outro cara, lindo, simpático, romântico, que faria tudo por ela…

Vem cá, quem nunca esperou demais? Eu esperei. Eu sempre li que um homem apaixonado é capaz de tudo. Loucuras de amor. Sabe bem? Aparecer sem que a amada espere. Uma ligação. Um presente. Uma viagem. Uma mensagem. Um sinal de fumaça. Quando se quer…

E quando não se quer? A pessoa se frustra. E frustra porque no lugar do outro faria tudo para encantá-lo, surpreendê-lo. Quantas vezes não me frustrei… Quantas vezes não esperei demais… Quem quer…

Agora, não é culpa do Santo que a gente se envolva com pessoas certas na hora errada ou erradas na hora certa. vai saber… tudo na vida tem um propósito. O que eu quero dizer é que se você esperou demais e percebeu que não passava de mais um na vida da pessoa que era essencial pra você – sim, quando estamos apaixonados, acreditamos que nossa vida só faz sentido se aquela pessoa especial estiver presente-, não se descabele. Há de aparecer um bonitão, uma bonitona que te faça entender o porquê de tudo.

Esse ano, eu esperei demais. Eu acreditei em filosofias, eu acreditei que se apaixonar era incrível. Nem sempre é. Eu esperei mais respeito, mais consideração, mais entrega. Eu esperei exclusividade, amor, carinho. Eu esperei confiança, segurança, comprometimento. E não tive nada disso.

As pessoas precisam parar de brincar com as outras. Precisam entender que nem sempre seus objetivos estão alinhados com os dos outros. se você gosta de curtir a vida sem envolvimento, ande com pessoas assim. Não brinque com sentimento alheio. Não diga palavras que você não consiga sustentar. Quer saber? Covarde é o homem que conquista uma mulher e não tem coragem de amá-la.

Não iluda, não machuque, não prometa. Seja transparente. Mais, não julgue a atitude de outrem antes de saber seu passado. A vida é feita de chances, não desperdisse as que você receber! Ame muito, mas ame pensando no outro. Sejamos mais altruístas. Esse é o caminho!

 

[Escrevi este texto no dia 13 de junho de 2011. Atualização: Este ano fui até a Igreja de Sto Antônio no dia 13. Comprei medalhinha, bolo e rezei. Mas nada de desespero. Antes de precisar de um namorado, eu preciso de outras coisas!!! Fui mesmo é agradecer tudo o que tenho e pedir luz/força. Se for permitido um namorado, óbvio que a gente aceita, sem reclamar... Masssss, senão estiver na hora, a gente "deita" e espera hahaah]

Recaída Feminina

Mulher é um bicho viciado… em amor. Se apaixona fácil, se entrega fácil, se f*de fácil.

De repente, o celular vibra. Uma mensagem: “amiga, eu tive uma recaída, liguei pra ele…” Pra quê? Por quê? AHHHHHHHH. Porque a gente gosta de sofrer. A gente vive de ilusão. Bobinhas…

Eu já tive muitas recaídas e olha que sou extremamente orgulhosa. Dizia que com a mesma facilidade que passava a gostar de alguém, passava a odiar, menosprezar. Que dó da formiguinha. Hoje em dia, as coisas são muito mais difíceis. Muito mais. E é por isso que sou adepta ao “delete“. Não quer recair? delete. Não quer saber da vida da pessoa? delete. Não quer que ela saiba da sua? delete. Está esperando o que pra deletar? delete.

Dizem que o tempo cura tudo. Dizem que o homem que foge das suas tentações é covarde. As pessoas vivem dizendo frases prontas. E daí? Eu acredito no poder do tempo, mas odeio ter que ficar a sua mercê. Eu assumo minha covardia. Não consigo. Se eu vejo a pessoa online, quero conversar, perguntar o que está fazendo… Se ela não fala comigo, fico nervosa, ansiosa. Se ela não responde, quase pulo da janela. Então, por que mesmo? delete.

Já deletei muitos, por ‘n’ razões. E continuo o fazendo. Hoje mesmo o fiz. Pessoa sem maturidade não merece sua atenção. Falar pra quê, se a pessoa diz que não quer conselhos? Se acha graça no que faz de errado? Se não pede desculpas quando prejudica alguém?

Aliás, falando em coisas erradas (o que é errado, na verdade?), estou inconformada com a cara de pau das pessoas. Elas aprontam todas, somem e depois reaparecem como se nada tivesse acontecido. Oi? Essa função era minha. Eu fazia e acontecia, sumia e depois voltava feito um doce. O feitiço virou contra o feiticeiro. Agora eu sei o quão confusas ficam as pessoas diante dessas situações. Não sei se mando a pessoa dar uma voltinha naquele lugar, se dou risada ou finjo que está tudo bem. Não, não está tudo bem. Eu sou rancorosa. Não esqueço uma só vírgula do que fazem pra mim. Isso não é legal, mas quem vai julgar?

Sem julgamentos. Apenas promessas. E eu prometo que vou tentar não ter recaídas, mesmo que eu queira muito revê-lo, que eu tenha pensado muito em você. Ainda bem que não tenho o número das pessoas. delete. Eu prometo não mais sonhar com reencontros, não esperar uma ligação e nem uma mensagem de saudades. PROMETO! E prometendo, espero o mesmo. Suma do mapa. Não comente meus posts, não ‘curta’ minhas publicações, não mande um singelo ‘oi’. Fale que está apaixonado por outra, que está namorando, que tudo não passou de um lance, do passado. Quer saber, posso te deletar?