TAM – Transporte aéreo do mal

Eu não sei o que aconteceu comigo, mas poucos dias antes do meu aniversário, acho que tive um leve lapso de memória – saí do corpo. Tinha tanta coisa pra fazer que acabei não fazendo nada. Ia viajar no domingo, sexta-feira ficava pronta minha passagem. Quando lembrei disso? No sábado, às 18h, sendo que às 19h eu iria comemorar meu aniversário! Pensa no desespero.

Ok. Comemorei ao lado de pessoas maravilhosas, fechei as malas e fui viajar. Cheguei no Aeroporto e a moça me pediu as passagens. Dei a ela o papel que meu irmão havia buscado na agência pra mim. “Moça, isso é reserva, cadê as passagens?” Não é possível… naquele momento só queria sentar no chão e chorar. Mas não, fiz cara de blasé e ela se virou. Procurou no sistema e liberou minhas malas.

Sério, eu nunca fiquei tão retardada assim. Parecia que era minha primeira viagem de avião. Não era, mas a moça não precisava saber. Cara de blasé e partiu. Almocei, enrolei e resolvi embarcar. Na passagem, mostrava um horário: 12h40, que era do… embarque. E eu? Achei que era a hora que abria os portões! PENSA NA LERDEZA DA PESSOA.

Quando me dei conta, estava na última chamada  do meu voo (risos nervosos). Eu e minha mãe saímos correndo. Por 1 minuto não anunciaram nosso nome no microfone – pensa no MICO LEÃO DOURADO COM PURPURINA! Era o início da viagem maluca.

Entramos no avião e tcharã, do meu lado um gaúcho muito bonito. Eu não parava de rir, meu coração agitado, imagina se eu perco o voo? Me recuperei e me concentrei. Estávamos esperando as portas do avião fechar enquanto uma aeromoça passava entregando balas. De repente, essa moça me solta um “nossa”. Não teve como, geral olhou pra trás. PENSA EM UM AVIÃO NOVO! Um moço foi ao banheiro e ao sair… arrancou a porta junto! Qual a probabilidade disso acontecer, minha gente?

Ele ria de nervoso. E eu, ria ainda das passagens, da minha bananice e da vergonha alheia que meu irmão disse ter de mim e da minha mãe. E a porta lá… Ainda bem que fui no banheiro antes, imagina se fosse eu? Sério… ia sentar no chão e chorar. Sério. Era só o que me faltava…ou não!

1h e pouco de viagem. O que fazer? Dormir, óbvio. O problema é que eu perco a noção de espaço quando eu durmo e… comecei a cair em cima do moço. Minha mãe me puxou, ufa. Como que uma pessoa dessa quer arrumar namorado? Paquerar durante as férias? Fala pra mim!

Bom, a viagem foi ótima, deu tudo certo, engordei 2 kg e não encontrei o gaúcho da minha vida. Espero que a porta do banheiro do avião esteja no lugar e que o moço conte sua história para os netos. Ele ficou famoso. Acha! Fiquei sabendo que o pessoal do meu hotel estava no mesmo voo por causa dele; como esquecer do moço da porta?!

Que minha próxima viagem seja mais calma. Quer dizer, igual a essa. Ri litros, metros, quilômetros e mais aluma medida que não me vem em mente. Aliás, sabia que o nosso cérebro começa a pifar depois dos 27 anos? #%@#¨&%* Esquecer pessoas ele não quer, né? Momento DR com aquele que quer dominar o mundo. Beijos #partiu

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>