Você abre o vidro?

Eu sempre falo para os voluntários do Entrega por Campinas: você vai ver como suas atitudes mudarão depois de hoje. E como mudam…

Antigamente, quando parava em um semáforo, fechava correndo o vidro. Nunca fui de dar dinheiro e como podem perceber, nem atenção. Não era maldade, era medo, sei lá o que era. Passou.

Hoje, quando vejo que o sinal está fechando, eu abro o vidro. Continuo não dando dinheiro, mas hoje dou atenção. Converso, pergunto o nome e dou água – sempre ando com garrafinhas no carro. #ficadica

E vocês não sabem como isso faz a diferença não só na minha vida como na das pessoas que ficam nos sinaleiros (lembrei da minha vó agora).

Ontem era segunda-feira, dia de reunião do Entrega. Como estava muito perto do local da reunião, tive que dar aquela enrolada. Fui no Mc Donalds. Por que não um milkshake?

Antes do Mc tem um semáforo que fecha super rápido. Era o primeiro carro. Do nada, apareceu um moço, gesticulando um pedido de dinheiro. Eu disse que não tinha e fui abrindo o vidro. Peguei a garrafinha de água e disse que estava quente. Perguntei se mesmo assim ele queria. Ele pegou a garrafa e começou a falar:

- Moça, só de você não ter me ignorado, ter aberto o vidro, eu já estou feliz. Muito obrigado.

Pensa numa pessoa que na hora queria cair nos prantos – sou dessas. Perguntei seu nome: Everton. E logo em seguida comentei sobre um rapaz que ficava ali naquele local. Ele se confundiu, riu e disse que amanhã não estaria por ali. Seria internado.

O semáforo que era rápido, durou o tempo certo pra eu ganhar minha noite. Comentei que ia dar a volta e voltava pra gente conversar. Entrei no Mc, comprei meu milk-shake e pensei: por que não comprar um lanche pro Everton? Ai eu sento ali com ele e enquanto ele come, a gente conversa.

Demorei muito. Comprei o lanche, desci e cadê o meu mais novo amigo? Havia saído do semáforo. Quando olho pro lado, um outro moço vinha na minha direção: Moça, me dá um lanche?!

Eu não tinha comprado aquele lanche pra ele, mas naquele momento era ele que precisava ser alimentado!  Vai ver estava há dias sem comer ou talvez com muita vontade de um lanche (já passou pelo MC quando você está com fome? Aquele cheiro mata! Dá muito mais fome, vontade…). E assim foi.

Que noite. Que lição. Que linha torta com histórias certas. E aí, você abre o vidro?

Observação: Fiz este post para mostrar como a gente muda quando se entrega a um projeto social. Ele não é uma medalhinha de ouro por fazer o bem. Quem faz o bem, não precisa ficar expondo seu feito. Esse é apenas um depoimento, que no seu modo mais pretensioso, pretende servir como inspiração. Abra o vidro, converse, doe atenção. Muitas vezes, vale mais que qualquer dinheiro!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>